slide-slick

Páginas

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Entrevista : Autor Tiago C.F. Ramos

Hoje vamos conversar com o Tiago Cerqueira F. Ramos, autor do livro Os dias Esquecidos, lançado pela Editora Kiron.   Esse foi o primeiro volume da saga O Conto das Lendas, confiram a resenha AQUI no blog.  O que mais me surpreendeu quando li sua obra foi o cuidado e dedicação que o autor teve na composição de cada personagem e na construção de todo enredo.  É algo grandioso e complexo que consegue fascinar o leitor pelos detalhes e pontas muito bem amarradas, sem deixar lacunas na estória.  Posso garantir que o Tiago é sempre muito receptivo para conversar sobre seu livro, portanto estejam à vontade para  trocar uma ideia, dar opiniões e, tenha certeza, que toda crítica será bem recebida e aproveitada.  No fim do post deixarei os contatos do autor para os interessados.  Para aqueles que tiverem alguma curiosidade ou pergunta, podem enviar diretamente para ele ou deixar nos comentários, que certamente o Tiago responderá.  O objetivo é sempre interagir com todos.   Essa é uma ótima oportunidade para conhecer o fascinante nascimento das ideias, e como funciona todo o processo até que as palavras estampem as páginas dos livros.   Vamos então à entrevista.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Resenha : O Aprendiz do Arquimago (Chiado Editora)

Um fatídico acontecimento desestruturou a vida e a relação dos senhores de Elennan.  O fato, que é um mistério para o leitor, faz com que Aglarion, o menino elfo,  revele o desejo de tornar-se um guerreiro.   A mãe, que havia se tornado amarga e ausente, dizia que 'sua verdadeira força estava em sua mente, não em seus braços', e ele acaba aceitando seguir os ensinamentos do grande Kyehntw'arthal para tornar-se um Mago.  Michael A. Iora, autor de As Crônicas de Herannon, 3ª Era - O Aprediz do Arquimago, publicado pela Chiado Editora, sempre foi um apaixonado por fantasia.  Aos 17 anos criou seu próprio mundo para utilizar como cenário com seu grupo de RPG, e desse jeito surgiu o mundo de Herannon.  Em 2015, com toda a experiência obtida em sua criação, eis que esses personagem ganharam as páginas de seu primeiro romance de fantasia.

 Não existem limites para o seu crescimento, exceto aqueles que você impuser a si mesmo - a voz dela assumiu um toque solene. - Não permita que o convençam do contrário.
 
Kyehntw'arthal era um Arquimago excêntrico e poderoso, o maior de todos no Vasto Mundo.  Era meio humano e meio elfo, conhecido pelo difícil temperamento e arrogância.  Era temido por transformar as pessoas em texugos albinos diante de qualquer contrariedade (confesso que era divertido).  Seu poder era imensurável e estar sob sua guarda talvez fosse o maior desafio para o ingênuo elfo. 
 
Algumas lembranças tristes sempre nos acompanham, não é?

Aglarion guardava em seu íntimo a grande motivação que o levou até ali, algo que o fazia desejar imensamente alcançar seu objetivo e tornar-se um grande mago, mas isso é algo que, em partes, só é revelado no final.   

Tratar com mulheres é como caminhar sobre um lago congelado:  você nunca saberá se o próximo passo será seguro.  A camada de gelo pode ser fina o suficiente para se estilhaçar, e então...

Logo em sua chegada no novo lar, onde seria treinado, Aglarion conhece a encantadora Vedriny,  uma doce elfa, filha dos antigos mestres de Kyehntw'arthal, que deixaram esse mundo em prol de um bem maior.  Ela é, sem dúvida, a protegida do Arquimago.  É com ela que acontecem as poucas aventuras e peripécias nos raros momentos de descanso.   É uma daquelas personagens que te conquista na primeira linha.
 

A sua sabedoria é fria como uma nevasca, assim como o seu coração é duro como uma rocha e a sua língua é afiada como uma espada de aço-élfico.

Outra figura importante é Amahande, uma feiticeira humana da Ordem de Pallathen, era a única que sabia onde encontrá-los e tinha acesso às crianças. Ela era adorável e tinha por eles o carinho que guardou para os filhos que nunca tivera.   Assim como Kyehntw'arthal, Amahande tinha seus segredos. 

Lembre-se disto, garoto:  o pior inimigo é aquele que surge da forma mais inusitada, ou sob o disfarce mais ardiloso.
  
Todo o livro fica por conta do árduo treinamento do garoto, passando pelas dificuldades impostas pelo mestre (e não são poucas), chegando a ser duramente cruéis, fazendo com que o odiemos muitas vezes.  Se não bastasse a rotina diária de estudos, exercícios físicos e de controle de magia e elementos arcanos (terra, fogo, vento, água), existia outro ponto que mexia com o nosso aprendiz.  A saudade e isolamento da mãe, por muitas vezes, quase o fez desistir de tudo.  Mas ele queria tornar-se um aventureiro, e abandonar tudo não estava em seus planos.

Mas não exagere, pois amanhã o mesmo exercício o aguardará; e se você for muito rápido hoje, terá de ser ainda mais rápido amanhã, até que chegará o dia em que não conseguirá mais superar a si mesmo.

Durante todo o processo de aprendizado, o jovem elfo manipula poções,  treina com a terrível Serpente-encouraçada e com as víboras-do-abismo, enfrenta os perigos da floresta confrontando com o Javali-obsessor, goblins. Orcs, Ogros e Trolls.  

Usar a mente faz parte do desafio

O grande momento é reservado  para o final, quando um poder real, que se move pelas sombras  coloca em risco a vida de todos.  Um inimigo, que tem no maior poder a manipulação, seria uma terrível ameaça de conflitos, guerras e destruição.  São 'Aqueles que Se Elevam em Poder'.  Este é o nome da organização secreta composta por cinco dewyns, que são bruxos mortos-vivos de imenso poder e que anseiam por colocar as garras no Arquimago.  Basta saber se todos os ensinamentos servirão para alguma coisa em um confronto real.

De qualquer forma, ser aventureiro é estar sujeito a perigos inesperados.  Se não gosta da ideia, você pode desistir.

O enredo é bastante leve e agradável, sem grandes surpresas, mas nos faz viajar por suas páginas na torcida de que Aglarion consiga chegar ao final das etapas e desafios do Arquimago, que a todo momento o induz a desistir e voltar para casa.   Senti falta de um pouco mais de ação (ou aventuras) durante o livro, o que vem desenrolar somente após a página 451.  O texto é bem escrito e, talvez, se o autor tivesse explorado um pouco mais da personagem Vedriny, colocando-a em algumas peripécias com o nosso herói, teria adicionado um sabor maior à leitura. Vejo, de certa forma, esse primeiro volume como um preparo, um amadurecimento para que o jovem príncipe elfo possa viver grandes aventuras no futuro. Os personagens são bem construídos e o universo criado pelo autor é imensamente fantástico e consistente, o que me leva a criar expectativa para o próximo livro, já que tem tudo para ser mais movimentado e elementos suficientes para um ótimo enredo.    Michael A. Iora teve o cuidado de escrever no apêndice as pronúncias dos nomes e todas as medidas compatíveis com as que conhecemos(tempo, extensão e massa).  Por fim, eu adorei a leitura e já estou ansioso pela continuação.  Espero que também gostem. 

Mesmo que eu seja reprovado, não posso dizer que não valeu a pena.



https://www.chiadoeditora.com/livraria/o-aprendiz-do-arquimago

    Conheçam o site oficial do autor :  www.herannon.com
    • As crônicas de Herannon, 3ª era : O Aprendiz do Arquimago
    • Autor : Michael A. Iora
    • Origem: Nacional
    • Editora: Chiado
    • Coleção: Mundo Fantástico
    • Edição: 1 (2015)
    • Assunto: Literatura Nacional - Ficção Fantasiosa
    • Idioma: Português/BrasilISBN: 9789895149360
    • Encadernação: BROCHURA
    • Altura: 22,00 cm
    • Largura: 14,00 cm
    • Comprimento: 3,00 cm
    • Peso: 0,40 kg
    • Nº de Páginas: 630

    terça-feira, 13 de setembro de 2016

    Autora : Christiane de Murville

    Um encontro super especial marcou meu passeio pela Bienal do Livro esse ano (2016) em São Paulo.  Conheci a Christiane de Murville, autora da trilogia A Caverna Cristalina, lançada pela Chiado Editora.   Conversamos um pouco sobre os livros que misturam aventura e ficção científica.  O enredo fala de viagens no tempo, onde acompanhamos os personagens em diversos níveis de realidade, alternando entre passado, presente e futuro.  Todos esses temas mexem com nosso imaginário e a autora uniu uma minuciosa  pesquisa com uma estória empolgante, cheia de mistérios que prometem segurar o leitor do início ao fim. 

    Ganhei esse super mimo da Christiane, durante a sessão de autógrafos no stand da Chiado Editora.  São pedrinhas que nos remetem à Iguatu, cidade localizada na Chapada Diamantina, cenário do livro. 


    Conheçam um pouquinho da autora e suas obras.  

    Graduada, mestre e doutora em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo (USP), com especialização em psicodrama e orientação profissional, Christiane Isabelle Couve de Murville dedicou sua carreira ao atendimento psicológico, oferecendo oficinas de teatro espontâneo em contextos variados. É também bacharel em Ciência da Computação pela USP e integra o grupo de estudos Kallipolis sobre níveis de realidade. Morou sempre no Brasil, apesar da dupla nacionalidade, brasileira e francesa. Publicou a novela A vida como ela é, além de livros e artigos acadêmicos, e tem experiência artística em escultura e pintura.  (Chiado Editora)  

    A Caverna Cristalina

    Volume 1: Uma Aventura no Tempo

    Ambientado no coração da Chapada Diamantina, Brasil, este romance conta a aventura de um grupo de pesquisadores que vivem experiências de portais dimensionais e mundos paralelos em uma caverna cristalina. Envolvidos em uma trama instigante e viva, intimamente ligada à história do vilarejo de pedra de Igatu, no estado da Bahia, o grupo transita por diferentes momentos históricos, níveis de percepção e consciência da realidade. Acompanhando essas viagens surpreendentes no tempo, o leitor se depara com um universo de possibilidades em que passado, presente e futuro se entrelaçam, ampliando os horizontes de consciência e percepção, trazendo à tona um mundo invisível muitas vezes desconsiderado ou esquecido.

    A Caverna Cristalina

    Volume 2: O Desafio do Labirinto

    Estranhos fenômenos acompanham os arrojados experimentos do grupo do professor Samuel na caverna cristalina, espalhando inveja, incompreensão, medo e curiosidade entre os habitantes da vila de Igatu, Brasil. A situação se tumultua e se complica neste segundo volume, tornando ainda mais desafiadora e instigante a aventura no tempo. Além do impacto social da abertura de portais dimensionais e das viagens no tempo, cada integrante do grupo terá agora de lidar com suas dúvidas e medos mais profundos, ampliando a trama na qual todos estão envolvidos. Morte e renascimento se entrelaçam e conferem à vida uma nova dimensão, convidando o leitor a considerar diferentes realidades paralelas que acontecem simultaneamente e infinitas possibilidades de manifestação da consciência coexistindo no tempo.

    A Caverna Cristalina

    Volume 3: Capturados no Tempo

    Neste terceiro volume, o grupo de pesquisadores que vivem experiências de portais dimensionais e mundos paralelos na caverna cristalina situada no coração da Chapada Diamantina, Brasil, depara-se com mundos ainda mais estranhos e surpreendentes. Não se trata mais de ir ao passado ou futuro de Igatu, mas de lidar com realidades alternativas coexistindo no tempo. Percebendo-se capturado no tempo, cada integrante do grupo terá agora que descobrir como se libertar de suas projeções pessoais e desses mundos paralelos.

    A vida como ela é 

    Ambientada em um prédio de classe média, essa narrativa tão atual quanto instigante traça as trajetórias de dois vizinhos que se encontram com certa frequência no elevador do prédio. Enquanto um se preocupa essencialmente em subir na vida e se transformar em uma personalidade de sucesso, o outro opta por uma vida qualitativa, afinada ao que lhe proporciona animação e paz. Esses dois modos muito distintos de perceber a realidade e de se relacionar no mundo levam cada um dos personagens a caminhos e escolhas radicalmente distintos, que conduzem a um surpreendente desfecho.


    Para encerrar, deixo com vocês um vídeo onde a autora Christiane de Murville fala sobre os livros na época em que foram lançados. 




      
    Contatos da autora e link para compra:

    https://www.chiadoeditora.com/autores/christiane-de-murville


    domingo, 11 de setembro de 2016

    Resenha: O dia seguinte - Intrínseca

    O Dia Seguinte de Rhidian Brook da Editora Intrínseca, conta a estória de duas famílias tentando juntar os pedaços após o fim 2ª guerra mundial, tendo como cenário uma Alemanha completamente destruída.  

    O que poderia acontecer com pessoas em lados opostos desta guerra convivendo dentro de uma mesma casa?  E se essas famílias estivessem tão destruídas quanto a cidade, depositando no outro a culpa por todas as suas perdas?

    Uma cidade esmagada se estendia até onde a vista alcançava, o entulho chegava à altura do primeiro andar de qualquer prédio ainda de pé. Difícil acreditar que um dia aquele fora um lugar onde as pessoas liam jornais, faziam bolos e pensavam em quais quadros pendurar nas paredes das salas de visita.

    terça-feira, 6 de setembro de 2016

    Autor: Carlos Rodrigo

    O novo parceiro do blog vai agradar principalmente aos fãs dos contos de horror.  O jovem e talentoso Carlos Rodrigo acabou de lançar o conto "Rezadeira - o caso da família Cabral" na loja Amazon e em breve terá a resenha aqui no blog.   Desejo boas vindas ao jovem escritor e que nossa parceria possa ser frutífera e duradoura.  

    Carlos Rodrigo nasceu em 11 de fevereiro de 1998. Sempre devorou livros. Estuda Jornalismo na Universidade Federal do Cariri e mora no Crato - CE com a família e dois muito amados cães, um deles batizado de Sírius Black; fãs de Harry Potter entenderão a referência.
    Ainda no ensino fundamental, começou a escrever as primeiras histórias surgidas na imaginação fértil. Sempre se dedicou às aulas de redação. Com 11 anos escreveu seu primeiro livro e com 14, concretizou o sonho de assinar contrato com uma editora, realizando a sua primeira publicação (Memórias do Fantasma - Atormentado), até então única.
    Atualmente trabalha em duas obras, simultaneamente. Uma delas, "Não Leia O Meu Diário", pode ser acompanhada na plataforma Wattpad. A outra é um projeto que já carrega há anos, um livro de Ficção Científica, com previsão de lançamento para 2017. É colunista no site Eu Sou do Cariri. Estudou Agropecuária no IFCE - Campus Crato.

    Conheçam um pouquinho das obras do autor:


    Rezadeira - O caso da família Cabral. 2016, Amazon


    “Você acredita em espíritos? Espíritos malignos, para ser mais exato. Se a resposta for negativa, peço que a repense, ao menos depois de conhecer a minha história. Eu também não acreditava, e você nem imagina o que aconteceu comigo, com a minha família.” – Lúcia Cabral.
    Um conto de horror curto, bem elaborado e sangrento.

    (Link no Amazon do conto Rezadeira)

    Não Leia O Meu Diário. 2016, Wattpad

    Sinta a experiência de rir e se arrepiar em um único livro.
    Marcelo, um jovem garoto apaixonado pela menina mais linda do colégio, imaginou que ao sentar e escrever sobre sua vida tudo não passaria de uma comédia, porém sérios acontecimentos de agitar o coração levam-no a comparar um filme de terror, o qual jamais desejou vivenciar, ao seu diário.

    (Clique aqui para ler gratuitamente Não Leia o Meu Diário).

    Memórias do Fantasma - Atormentado. 2013, Editora Selo Jovem



    Após a morte de seus pais, Arthur Lourenço, um jovem de 17 anos, precisou adaptar-se a uma nova rotina, totalmente diferente a qual vivia. Outro lar, novos amigos, e, a decisão de abandonar o colégio. Ele até poderia aceitar esse fato, se não fosse pela condolência em ver o pai tornar-se um fantasma tenebroso. Como alguém seria capaz de se acostumar com essa tormenta? Felizmente, Arthur possui amigos dispostos a ajudá-lo se livrar deste sofrimento. Especialmente, Ágata: A bela garota que porta sinais de bipolaridade.

    Quando a sua preciosa vida foi retirada por bruxos das trevas, em um ritual manipulado há uma década, Laura Mendez, sofreu uma transformação que jamais desejou. Ela já não era mais humana. Porém, felizmente, um dia conhece Arthur, pelo qual o seu coração passa a bater mais forte. Embora ela tente reprimir ao máximo esse sentimento...

    No entanto, de que modo Arthur reagiria ao descobrir que estava apaixonado por um ser sobrenatural? Isso parecia improvável, pelo simples motivo de já vir sofrendo o suficiente com esse lado sobrenatural do mundo, antes mesmo de conhecer Laura. 

                    (Livro fora de comercialização. Uma nova versão está sendo escrita).




    Links do Autor:
    https://www.facebook.com/ccarlosrodrigo/https://twitter.com/CCarlosRodrigo


    Compre o conto Rezadeira - Amazon

    domingo, 4 de setembro de 2016

    Um dia na 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

    Foi um dia só, mas que ficará na lembrança.  Um dia corrido e cheio.  Cheio de livros e muitas atrações voltadas para a literatura, abrangendo todas as tribos.  Livros e mais livros (preços altos, preços baixos, promoções) e tanta novidade e lançamento capaz de levar à loucura qualquer mortal, mesmo que não seja um leitor compulsivo.  É fácil encontrar pelos corredores e stands aqueles que se deliciam com o cheirinho de páginas novas cheinhas de estórias ou mesmo sentindo nas mãos o tão cultuado objeto do desejo.

    Sair do interior do Rio, mais precisamente da cidade de Barra Mansa e enfrentar 4 horas de ônibus é apenas o início dessa grande aventura.  Para embarcar nos ônibus gratuitos na saída da estação do metrô Tietê, tinha longa fila, mas que fluía rapidamente.  Assim também foi na fila de entrada, mesmo para quem estava comprando ingressos na hora, lembrando que era terça-feira.

    quarta-feira, 31 de agosto de 2016

    É preciso um pouco de ignorância para se criar algo - Artigo de Eduardo Timbó


    https://pixabay.com/pt/escrito-m%C3%A3o-notas-explora%C3%A7%C3%A3o-1209700/
     (Artigo de Eduardo Timbó)

    Sempre escrevi versos. Desde a adolescência. Pois sempre tive a ingênua percepção de que o verso era mais “acessível” que a prosa.
    De fato, para um adolescente que vive o encanto da leitura, é formidável poder saborear esse controle da palavra na folha em branco, a palavra soltinha no papel. É um prazer quase totalitário, diria. 

    “A palavra é minha e eu a organizo como bem entender”.

    quinta-feira, 25 de agosto de 2016

    Prêmio Dardos - Agosto 2016


    É com enorme prazer que fui indicado pela segunda vez em 7 meses ao Prêmio Dardos.    Nós, blogueiros, nos esforçamos em trazer o melhor para nossos leitores e parceiros.   Quando fazemos um post, o leitor pode imaginar que um trabalho enorme começou desde a idealização, passando pelo planejamento, até ser concretizado, chegando, enfim, até vocês.

    Conheça um pouquinho da história da premiação:  "O Prêmio Dardo é um selo virtual criado em 2008 pelo escritor Alberto Zambade, do blog Leyendas de "El Pequeño Dardo" El Sentido de las Palabras, para premiar os esforços dos blogueiros em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários e pessoais, e que, em resumo, demonstram sua criatividade através de seu pensamento vivo, e de seu conteúdo original. Ele selecionou e concedeu o prêmio a quinze blogs, que deveriam indicar outros quinze para o prêmio, e assim sucessivamente".

    Dicas para a 24ª Bienal do Livro de São Paulo

    Que delícia!  Mais uma bienal chegando e é bom se preparar para curtir tudo tranquilamente.
    Em 2016, a Bienal do Livro de São Paulo, em sua 24ª edição, acontecerá entre o dia 26 de agosto e 04 de setembro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. O endereço é Av. Olavo Fontoura, 1.209 - Santana - São Paulo/SP.

    Segunda à Sexta: 9h às 22h
    Sábado e Domingo: 10h às 22h
    Dia 04/09 das 10h às 21h

    É uma ótima oportunidade para se antenar em todos os lançamentos, aproveitar promoções, encher o estoque de marcadores e curtir tudo o que eles têm para oferecer.  Não é um espaço somente para comprar livros, o espaço é repleto de opções para todas as idades. A verdade é que muitos livros custam mais caro que nas lojas virtuais, mas também encontramos ótimas promoções.  Mesmo assim, vale cada segundo da visita, posso garantir.

    quinta-feira, 18 de agosto de 2016

    Resenha: Os dias Esquecidos - Tiago C.F. Ramos

    Os dias esquecidos, do autor Tiago C. F. Ramos, publicado pela Editora Kiron é o primeiro livro da saga O Conto das Lendas.   Diante de vários  autores que se aventuraram em escrever uma estória de fantasia, Tiago se destaca, por ser  um apaixonado pelo tema e pelo universo que criou.  Grande admirador do trabalho de Tolkien, ousou colocar nas páginas de um livro seus próprios personagens. Tenham a certeza:  ele não é apenas 'mais um'.

    "Deste dia em diante uma nova Era surgiu, a Era dos Dias Esquecidos.  Essa foi a Era das lendas e de seus feitos.  Esse é o começo do mundo das criaturas e de seus feitos na terra."

    No início existia apenas Üme, o Único. Ele era senhor de tudo e foi dele as primeiras criações que possibilitaram a origem de tudo o que há no mundo.  Foi ele quem trouxe à vida os Eirunish, ou poderosos, seus oito filhos, cada um com suas características.   Ëlonder, era pai das luzes e aquele que mais aprendia com o pai; Dorandor, o pai do caos e senhor da escuridão; Adera, a senhora do futuro; Sjerasvananna, a senhora da pureza; Hjelondur, o sábio; Hordar, o senhor da vida e da morte e Jorder, o senhor da terra e do fogo.

    Então Üme lhes mostrou o grande Intento, que era o desejo de um mundo físico e de seres viventes, ao qual deveriam criar, cuidar e zelar.  Passaram a criar coisas fantásticas, as estrelas e o universo, mas perceberam que Dorandor, não conseguia participar da criação.  Como senhor do caos, destruía tudo o que tocava.  Sem entender sua importância dentro do grande Intento, Dorandor se isolou, roubando uma estrela, e criando uma arma perigosa, que nenhum dos sete jamais ousou tocar, iniciando assim um tempo de batalhas entre as trevas e a luz.  Dorandor, também chamado de Skaaldor, criou um exército de sombras, criaturas vorazes, para destruir tudo o que os irmãos construíram.  Mas isso seria apenas o começo!

    "O medo é um inimigo grandioso que pode ser ainda maior, se alimentado.  
    Peguem suas espadas e lutem!"

    Eles mandaram seus filhos ao mundo para que lhe dessem forma, mundo este recentemente criado.  Eram criaturas fantásticas que não envelheciam, com um caminho de luz pelo qual juraram lealdade.  Dessa forma surgiram as lendas, que vieram a se unir e ter filhos que prestavam novos juramentos.

    Esaroth, neto de Skaaldor, era uma dessas lendas. Diante de uma grande revolta, ele busca a origem de seus antepassados, trazendo ao mundo o caos e as criações do grande Dorandor.  De posse da poderosa espada pertencente ao avô ele fica ainda mais poderoso e luta para dominar todo o novo mundo.

    Com os lendários a proteger a criação, surgiu a vida em meio a tanta beleza.   Mais tarde, as lendas deram vida aos elfos, homens e  anões, que ao longo do tempo se espalharam, habitando vários cantos da terra, formando clãs e povoados.
      
    Esaroth construiu um grande exército de criaturas terríveis: Orques, Goblins, Ogros, Trolls, dragões, harpias e gárgulas.  A mais temida e mortal dessas criaturas era Badalsir, uma mistura de homem com touro.

    "Tendo chegado o Cervo Sagrado com uma flecha na boca, uma flecha de cristal, levantou-se e tomou a flecha de modo que recebeu como missão de sua mãe Elora, a morte de Badalsir."

    Muitos elfos, seduzidos pela promessa de mais sabedoria feita pelo grande vilão, abandonaram seu povo e suas raízes.  Eles são conhecidos como elfos negros.  Muitos heróis também serão apresentados, um deles é Antharandor e seu cavalo Sjeraser, presente de Elora, a protetora do bosque sagrado.   Veremos como ele se tornou um homem abençoado pelas lendas depois de ver sua esposa morrer pelas mãos de um goblin.  Ele é apenas um dos heróis que irão travar grandes batalhas tentando libertar o mundo do mal.

    Veremos o nascimento e ruína de cidades inteiras.  Destruição e separação das raças. Eram tempos obscuros e de futuro incerto.

    "Os últimos blocos de orques fugiram, voltando de onde vieram.  Foi um massacre.  Ishiids e anões destruíram todos eles."

    Todo o livro é muito bem elaborado e embasado em mapas, línguas, costumes e bandeiras de cada povo.  Tudo é tão rico em detalhes que conseguimos imaginar cada cenário e, rapidamente, nos transportamos para dentro do universo proposto.  É muito rica a construção dos personagens e ambientação.  O autor consegue desenvolver início, meio e fim de forma magistral.  Nos apaixonamos por cada personagem e sofremos em cada desfecho.

    Tiago consegue encantar o leitor com uma narrativa dinâmica, um universo grandioso,  um enredo complexo e bem estruturado.  Para quem gosta de fantasia é uma super dica de leitura.  Espero que gostem tanto quanto eu.  E já estou ansioso pelo próximo volume.

      http://www.livrariakiron.com.br/http://www.editorakiron.com.br/
    • Editora: Kiron
    • Autor: Tiago C. F. Ramos
    • ISBN: 978-85-8113-506-9
    • Origem: Nacional
    • Ano: 2015
    • Edição: 1
    • Página: 324
    • Dimensões: 23x16cm
    Onde comprar:
     
    Livro Físico:
    Livraria Kiron

    Formato Digital:
    Amazon
    Saraiva
    Conheçam outros livros da editora na Livraria Kiron


    domingo, 14 de agosto de 2016

    Resenha: Deixe para mais tarde - Eduardo Timbó


    Eduardo Timbó se define como um autor com insaciável vontade de criar. Em Deixe para mais tarde, publicado pela Chiado Editora, o poeta consegue nos surpreender ao tirar poesia de pequenos momentos e encanta numa explosão de sentimentos, contidos, na maioria das vezes, em poucas palavras. 

    https://www.chiadoeditora.com/"Que esse livro não faça peso em sua mochila, não se avolume em sua estante da sala ou mesa do quarto, e também não gaste as suas horas.  Que a tarefa de ler esse livro jamais pese em suas mãos ou consciência além do necessário.  Caso pese, deixe para mais tarde."

    Partindo de um olhar intimista, ele vê e alcança o mundo que o cerca e, outras vezes, caminha de um olhar mais amplo para algo mais contido.   É simples e maravilhosa sua poesia, capaz de despertar em cada um, através de olhar diferenciado, sensações que se alteram entre uma página e outra.  Acredito que sua versatilidade nos campos artísticos, consegue dar a sua poesia uma alma pulsante.  Além dos contos e poesias que escreve, ele é ator, compositor, canta e toca na banda Jossa Nova, projeto criado com alguns amigos.

    "aquela canção era sua.

    Despoticamente
    eu a retiro de você 
    e você dela."

    Pairando sobre a inconstância e diversidade dos atos, ele se faz e refaz em um universo de beleza e incertezas, se constrói diante de emoções e palavras.   A experiência no teatro, acredito eu, é responsável pelo tom vibrante, real e encantador contido em suas poesias.  Você pode gostar ou não de seu livro, mas jamais ficará indiferente.

    "Disse que duas pessoas pretensamente plenas se esbarram na fila do metrô 
    e assim o amor começa.
    O amor mesmo já começou bem antes que se esbarrem duas pessoas 
    pretensamente plenas no metrô.(...)
    Trecho de Lugar incomum 
    (Deixe para mais tarde - Eduardo Timbó - Chiado Editora)

    O desejo do autor é que sua poesia  liberte-se das páginas e que seu livro não fique esquecido em um canto qualquer da estante, nem que seja um peso para quem lê.  O Eduardo sabe construir com as palavras e moldar seus versos, cada linha carrega bem mais do que se pode ver.   Timbó consegue em um simples verso, encantar e mostrar uma grandiosidade, que dificilmente imaginávamos possível em poucas palavras.  Ele sabe tirar poemas da dobradura de um lençol ao fazê-lo dançar em sua inspiração.

    Sabe aquele silêncio que fica depois da última frase, algo que você sente que deve ser preenchido?  É assim que me senti muitas vezes.  A poesia não se acaba em si, mas sim, desperta uma reflexão, pensamento, lembranças, ou mesmo desejos.   É fácil se colocar dentro da poesia, existe uma proximidade e uma intimidade que seduz em suas palavras.

    O livro contém apenas 82 páginas, e somente as páginas da direita são impressas.  A revisão impecável é do próprio Timbó, capa da Ps_design, por sinal linda, e impressão e acabamento bem cuidados pela Chiado Editora.   
    Eu recomendo muitíssimo esse livro para os amantes de poesia e para aquelas que ainda não se permitiram embarcar neste universo.  Tenho plena certeza que você, assim como eu, vai adorar essa viagem. 

    [Me faço, refaço, mas o que faço com o que fizeram de mim?]

    Viver a vida em toda sua plenitude é a mensagem que tiro das poesias de Timbó.  De um jeito ou de outro, as coisas caminham e a beleza está em nossos olhos.  Cada instante tem sua importância e somos sempre os protagonistas de nossas vidas. Já o resto... Deixe para mais tarde!


    Onde comprar:
    Chiado Editora
    Livraria Cultura

    Contatos do autor :

    https://twitter.com/edumtimbohttps://www.instagram.com/edutimbo/https://www.facebook.com/eduardomtimbo

    terça-feira, 9 de agosto de 2016

    Resenha: A guerra de Lob - Chiado Editora

    A Guerra de Lob, do autor Lobo Mata, publicado pela Chiado Editora, é o relato de um tempo de guerra pelos olhos de um homem. Muitas coisas foram tiradas das anotações feitas em seu pequeno e inseparável caderno, mas também utiliza sua lembrança, por mais que tenha jurado sepultar esses anos.  São momentos em que viveu e sobreviveu, seus pensamentos e sentimentos e, acima de tudo, uma homenagem aos seus companheiros.

    https://www.chiadoeditora.com/livraria/a-guerra-de-lobEra maio de 1968.   Lob estava prestes a completar 20 anos e via a guerra colonial na África portuguesa, com início em Angola, interferir em seu destino.  O conflito rapidamente havia se estendido por Moçambique e Guiné nos primeiros 6 anos.  Os protestos pela paz e amor já ultrapassavam as fronteiras da Europa, mas as hostilidades contra o domínio português em terras africanas só aumentavam e a guerra parecia não ter fim

    "Confesso-me enamorado, apaixonado por alguém que 'nunca vi' , 'nunca conheci', e provavelmente nunca conhecerei."

    Lob nasceu em Serra das Estrelas, Sobral, uma aldeia afastada em Corvilhã, Portugal.  Agora, diante da aproximação da apresentação para o serviço militar, sentia-se dividido.  Deveria  fazer como muitos amigos, que  fugiam pelas fronteiras buscando a tão sonhada liberdade,  refugiando-se principalmente na França, para tentar uma nova vida, ou alistar-se por ideais de justiça, lutar pela libertação dos povos oprimidos, como outros faziam?

    "Era assim que a guerra de Lob se ia passando.  A normalidade na anormalidade, que é pessoas prepararem outras para uma guerra a quem não perguntaram se a queriam fazer."
    Lob era um jovem cheio de vida, brincalhão, alegre e cheio de disposição.   E, de repente,  a guerra parecia destruir seu presente, enterrando seu  futuro diante de seus olhos.
    Desde a inspeção militar, passou por todos os treinamentos que o levaria a uma guerra, que pareceria ser mais dos outros que dele, pois considerava aquela batalha injusta e inútil.  A triste realidade que o tornou apenas mais um número, o soldado 39, logo ele o mais antimilitar que existia. Agora era um guerreiro, combatente, um atirador de infantaria.  Lob, passou a registrar em seu pequeno caderno as angustias, os medos e os momentos que viveria a partir daquele dia.

    "Chegou a vez de Lob ouvir na parada, pela primeira vez o seu nome, deixando de ser um número... e saber a especialidade atribuída...  ATIRADOR DE ARTILHARIA, (esse mesmo) que Lob já sabia ser o mesmo que atirador de cavalaria ou infantaria... Era atirador e pronto!"

    Lob foi mobilizado para a Companhia Independente de Intervenção, a CART 2763 com destino marcado para Moçambique, onde mais tarde assumiria o comando do grupo, do pelotão. O objetivo da CART era manter a segurança das máquinas e trabalhadores na pavimentação da estrada entre Macomia e Oasse.  Logo se instalaram no Monte das Oliveiras.

    Lob negou qualquer ligação com o mundo que deixava para trás, não deixou nenhuma namorada ou madrinha de guerra que lhe escrevesse cartas ou esperasse por ele, pois não queria ser motivo de sofrimento para alguém.  Diante das lembranças e recordações dos amigos de infância e mesmo daqueles que conheceu no período da guerra, como Quelhas, com quem compartilhou o momento de ser definido apto pelo serviço militar, Lob se sentiu, muitas vezes, angustiado em deixar toda sua vida em função da guerra.  Os momentos com Ana Paula no comboio, Celeste com quem passa uma noite, Joana, Karmem e Maria Luísa, de quem jamais se esqueceu.

    "Agora tenho de lutar por mim e é por isso que sofro e deixo correr, não as lágrimas de feridas já curadas, mas o suor que o sol insensível e esquecido da guerra faz correr."

    Todos os acontecimentos, as pequenas ou grandes conquistas, as derrotas que mesmo pequenas se faziam grandes e tristes, cheias de perdas.   O medo das emboscadas a cada segundo.  Como esquecer da noite em que dormiu ao lado dos corpos de soldados, esperando para serem embarcados para sua terra natal, apenas com uma placa que os identificava.

    Ao fim de dois anos na guerra, depois de dedicar toda sua sorte ao bigode que cultivou, mesmo contra a pressão dos superiores, Lob havia mudado.  Não podia mais ser o mesmo depois de tudo o que viveu. 

    "A África fazia parte dos seus três anos de vida que não vivera, três anos de vida que descontaria à idade que tinha, como tinha dito aos seus amigos, forçados a serem amigos, por causa da participação numa guerra que, desde o princípio, nunca considerou sua."

    A CART 2763, cumpriu dois anos na guerra, era o tempo estipulado de serviço.  Talvez a única certeza fosse de que a guerra havia passado, mas será que se esqueceriam da guerra? 

    Lobo Mata consegue nos guiar na estória através dos olhos de Lob, e dificilmente o leitor não vive intensamente cada segundo, cada despedida dessa guerra.  O livro, além dos textos escritos por Lob em seu caderno, agrega falas da memória futura do autor, o que, em muitas situações, já nos dá uma visão do que o personagem ainda não sabe.  Isso realmente dá uma tristeza, em saber que nem todos os seus sonhos e desejos se realizariam.  Eu recomendo muitíssimo esse livro.

    "Tão rapidamente como começara, tudo terminou."


    Sobre o autor :


    Lobo Mata (pseudônimo literário de Virgílio Marques)

    O Autor, nasceu a 27 de maio de 1948 na aldeia do Sobral de São Miguel (Covilhã).

    Mobilizado pelo RAP2-Gaia para servir em Moçambique, entre 19 de agosto 1970 e 17de novembro de 1972 cumpriu a sua comissão militar integrado na CArt2763, no Monte das Oliveiras (Cabo Delgado) e em Changara (Tete).

    Visite o site dos veteranos AQUI