slide-slick

Páginas

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Prêmio Dardos - Agosto 2016


É com enorme prazer que fui indicado pela segunda vez em 7 meses ao Prêmio Dardos.    Nós, blogueiros, nos esforçamos em trazer o melhor para nossos leitores e parceiros.   Quando fazemos um post, o leitor pode imaginar que um trabalho enorme começou desde a idealização, passando pelo planejamento, até ser concretizado, chegando, enfim, até vocês.

Conheça um pouquinho da história da premiação:  "O Prêmio Dardo é um selo virtual criado em 2008 pelo escritor Alberto Zambade, do blog Leyendas de "El Pequeño Dardo" El Sentido de las Palabras, para premiar os esforços dos blogueiros em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários e pessoais, e que, em resumo, demonstram sua criatividade através de seu pensamento vivo, e de seu conteúdo original. Ele selecionou e concedeu o prêmio a quinze blogs, que deveriam indicar outros quinze para o prêmio, e assim sucessivamente".



Quero agradecer imensamente a Thais Oliver do blog Um café e um livro pelo carinho, reconhecimento e indicação.   O trabalho dela é super legal, repleto de resenhas, filmes, séries e posts interessantes.

Agora minha tarefa árdua é escolher entre tantos blogs que admiro, aqueles que vou prestigiar com a indicação, seguindo essas regrinhas:


1. Indicar blogs que preencham os requisitos acima (na descrição do selo) para receber o prêmio; 
2. Exibir a imagem do selo; 
3. Mencionar o blog que te indicou e inserir o link dele; 
4. Avisar os blogs escolhidos. 
Vamos lá? 


Mais uma vez, obrigado à Thais Oliver do blog Um café e um livro pela indicação.  E a todos os indicados,  espero que tenham gostado.  Admiro o trabalho de vocês e considero o conteúdo enriquecedor para nossa blogosfera.
OBS: As indicações não estão, necessariamente, em ordem de preferência, é apenas em função de contagem.

Até a próxima !

Dicas para a 24ª Bienal do Livro de São Paulo

Que delícia!  Mais uma bienal chegando e é bom se preparar para curtir tudo tranquilamente.
Em 2016, a Bienal do Livro de São Paulo, em sua 24ª edição, acontecerá entre o dia 26 de agosto e 04 de setembro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. O endereço é Av. Olavo Fontoura, 1.209 - Santana - São Paulo/SP.

Segunda à Sexta: 9h às 22h
Sábado e Domingo: 10h às 22h
Dia 04/09 das 10h às 21h

É uma ótima oportunidade para se antenar em todos os lançamentos, aproveitar promoções, encher o estoque de marcadores e curtir tudo o que eles têm para oferecer.  Não é um espaço somente para comprar livros, o espaço é repleto de opções para todas as idades. A verdade é que muitos livros custam mais caro que nas lojas virtuais, mas também encontramos ótimas promoções.  Mesmo assim, vale cada segundo da visita, posso garantir.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Resenha: Os dias Esquecidos - Tiago C.F. Ramos

Os dias esquecidos, do autor Tiago C. F. Ramos, publicado pela Editora Kiron é o primeiro livro da saga O Conto das Lendas.   Diante de vários  autores que se aventuraram em escrever uma estória de fantasia, Tiago se destaca, por ser  um apaixonado pelo tema e pelo universo que criou.  Grande admirador do trabalho de Tolkien, ousou colocar nas páginas de um livro seus próprios personagens. Tenham a certeza:  ele não é apenas 'mais um'.

"Deste dia em diante uma nova Era surgiu, a Era dos Dias Esquecidos.  Essa foi a Era das lendas e de seus feitos.  Esse é o começo do mundo das criaturas e de seus feitos na terra."

No início existia apenas Üme, o Único. Ele era senhor de tudo e foi dele as primeiras criações que possibilitaram a origem de tudo o que há no mundo.  Foi ele quem trouxe à vida os Eirunish, ou poderosos, seus oito filhos, cada um com suas características.   Ëlonder, era pai das luzes e aquele que mais aprendia com o pai; Dorandor, o pai do caos e senhor da escuridão; Adera, a senhora do futuro; Sjerasvananna, a senhora da pureza; Hjelondur, o sábio; Hordar, o senhor da vida e da morte e Jorder, o senhor da terra e do fogo.

Então Üme lhes mostrou o grande Intento, que era o desejo de um mundo físico e de seres viventes, ao qual deveriam criar, cuidar e zelar.  Passaram a criar coisas fantásticas, as estrelas e o universo, mas perceberam que Dorandor, não conseguia participar da criação.  Como senhor do caos, destruía tudo o que tocava.  Sem entender sua importância dentro do grande Intento, Dorandor se isolou, roubando uma estrela, e criando uma arma perigosa, que nenhum dos sete jamais ousou tocar, iniciando assim um tempo de batalhas entre as trevas e a luz.  Dorandor, também chamado de Skaaldor, criou um exército de sombras, criaturas vorazes, para destruir tudo o que os irmãos construíram.  Mas isso seria apenas o começo!

"O medo é um inimigo grandioso que pode ser ainda maior, se alimentado.  
Peguem suas espadas e lutem!"

Eles mandaram seus filhos ao mundo para que lhe dessem forma, mundo este recentemente criado.  Eram criaturas fantásticas que não envelheciam, com um caminho de luz pelo qual juraram lealdade.  Dessa forma surgiram as lendas, que vieram a se unir e ter filhos que prestavam novos juramentos.

Esaroth, neto de Skaaldor, era uma dessas lendas. Diante de uma grande revolta, ele busca a origem de seus antepassados, trazendo ao mundo o caos e as criações do grande Dorandor.  De posse da poderosa espada pertencente ao avô ele fica ainda mais poderoso e luta para dominar todo o novo mundo.

Com os lendários a proteger a criação, surgiu a vida em meio a tanta beleza.   Mais tarde, as lendas deram vida aos elfos, homens e  anões, que ao longo do tempo se espalharam, habitando vários cantos da terra, formando clãs e povoados.
  
Esaroth construiu um grande exército de criaturas terríveis: Orques, Goblins, Ogros, Trolls, dragões, harpias e gárgulas.  A mais temida e mortal dessas criaturas era Badalsir, uma mistura de homem com touro.

"Tendo chegado o Cervo Sagrado com uma flecha na boca, uma flecha de cristal, levantou-se e tomou a flecha de modo que recebeu como missão de sua mãe Elora, a morte de Badalsir."

Muitos elfos, seduzidos pela promessa de mais sabedoria feita pelo grande vilão, abandonaram seu povo e suas raízes.  Eles são conhecidos como elfos negros.  Muitos heróis também serão apresentados, um deles é Antharandor e seu cavalo Sjeraser, presente de Elora, a protetora do bosque sagrado.   Veremos como ele se tornou um homem abençoado pelas lendas depois de ver sua esposa morrer pelas mãos de um goblin.  Ele é apenas um dos heróis que irão travar grandes batalhas tentando libertar o mundo do mal.

Veremos o nascimento e ruína de cidades inteiras.  Destruição e separação das raças. Eram tempos obscuros e de futuro incerto.

"Os últimos blocos de orques fugiram, voltando de onde vieram.  Foi um massacre.  Ishiids e anões destruíram todos eles."

Todo o livro é muito bem elaborado e embasado em mapas, línguas, costumes e bandeiras de cada povo.  Tudo é tão rico em detalhes que conseguimos imaginar cada cenário e, rapidamente, nos transportamos para dentro do universo proposto.  É muito rica a construção dos personagens e ambientação.  O autor consegue desenvolver início, meio e fim de forma magistral.  Nos apaixonamos por cada personagem e sofremos em cada desfecho.

Tiago consegue encantar o leitor com uma narrativa dinâmica, um universo grandioso,  um enredo complexo e bem estruturado.  Para quem gosta de fantasia é uma super dica de leitura.  Espero que gostem tanto quanto eu.  E já estou ansioso pelo próximo volume.

    http://www.livrariakiron.com.br/http://www.editorakiron.com.br/
  • Editora: Kiron
  • Autor: Tiago C. F. Ramos
  • ISBN: 978-85-8113-506-9
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2015
  • Edição: 1
  • Página: 324
  • Dimensões: 23x16cm
Onde comprar:
 
Livro Físico:
Livraria Kiron

Formato Digital:
Amazon
Saraiva
Conheçam outros livros da editora na Livraria Kiron


domingo, 14 de agosto de 2016

Resenha: Deixe para mais tarde - Eduardo Timbó


Eduardo Timbó se define como um autor com insaciável vontade de criar. Em Deixe para mais tarde, publicado pela Chiado Editora, o poeta consegue nos surpreender ao tirar poesia de pequenos momentos e encanta numa explosão de sentimentos, contidos, na maioria das vezes, em poucas palavras. 

https://www.chiadoeditora.com/"Que esse livro não faça peso em sua mochila, não se avolume em sua estante da sala ou mesa do quarto, e também não gaste as suas horas.  Que a tarefa de ler esse livro jamais pese em suas mãos ou consciência além do necessário.  Caso pese, deixe para mais tarde."

Partindo de um olhar intimista, ele vê e alcança o mundo que o cerca e, outras vezes, caminha de um olhar mais amplo para algo mais contido.   É simples e maravilhosa sua poesia, capaz de despertar em cada um, através de olhar diferenciado, sensações que se alteram entre uma página e outra.  Acredito que sua versatilidade nos campos artísticos, consegue dar a sua poesia uma alma pulsante.  Além dos contos e poesias que escreve, ele é ator, compositor, canta e toca na banda Jossa Nova, projeto criado com alguns amigos.

"aquela canção era sua.

Despoticamente
eu a retiro de você 
e você dela."

Pairando sobre a inconstância e diversidade dos atos, ele se faz e refaz em um universo de beleza e incertezas, se constrói diante de emoções e palavras.   A experiência no teatro, acredito eu, é responsável pelo tom vibrante, real e encantador contido em suas poesias.  Você pode gostar ou não de seu livro, mas jamais ficará indiferente.

"Disse que duas pessoas pretensamente plenas se esbarram na fila do metrô 
e assim o amor começa.
O amor mesmo já começou bem antes que se esbarrem duas pessoas 
pretensamente plenas no metrô.(...)
Trecho de Lugar incomum 
(Deixe para mais tarde - Eduardo Timbó - Chiado Editora)

O desejo do autor é que sua poesia  liberte-se das páginas e que seu livro não fique esquecido em um canto qualquer da estante, nem que seja um peso para quem lê.  O Eduardo sabe construir com as palavras e moldar seus versos, cada linha carrega bem mais do que se pode ver.   Timbó consegue em um simples verso, encantar e mostrar uma grandiosidade, que dificilmente imaginávamos possível em poucas palavras.  Ele sabe tirar poemas da dobradura de um lençol ao fazê-lo dançar em sua inspiração.

Sabe aquele silêncio que fica depois da última frase, algo que você sente que deve ser preenchido?  É assim que me senti muitas vezes.  A poesia não se acaba em si, mas sim, desperta uma reflexão, pensamento, lembranças, ou mesmo desejos.   É fácil se colocar dentro da poesia, existe uma proximidade e uma intimidade que seduz em suas palavras.

O livro contém apenas 82 páginas, e somente as páginas da direita são impressas.  A revisão impecável é do próprio Timbó, capa da Ps_design, por sinal linda, e impressão e acabamento bem cuidados pela Chiado Editora.   
Eu recomendo muitíssimo esse livro para os amantes de poesia e para aquelas que ainda não se permitiram embarcar neste universo.  Tenho plena certeza que você, assim como eu, vai adorar essa viagem. 

[Me faço, refaço, mas o que faço com o que fizeram de mim?]

Viver a vida em toda sua plenitude é a mensagem que tiro das poesias de Timbó.  De um jeito ou de outro, as coisas caminham e a beleza está em nossos olhos.  Cada instante tem sua importância e somos sempre os protagonistas de nossas vidas. Já o resto... Deixe para mais tarde!


Onde comprar:
Chiado Editora
Livraria Cultura

Contatos do autor :

https://twitter.com/edumtimbohttps://www.instagram.com/edutimbo/https://www.facebook.com/eduardomtimbo

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Resenha: A guerra de Lob - Chiado Editora

A Guerra de Lob, do autor Lobo Mata, publicado pela Chiado Editora, é o relato de um tempo de guerra pelos olhos de um homem. Muitas coisas foram tiradas das anotações feitas em seu pequeno e inseparável caderno, mas também utiliza sua lembrança, por mais que tenha jurado sepultar esses anos.  São momentos em que viveu e sobreviveu, seus pensamentos e sentimentos e, acima de tudo, uma homenagem aos seus companheiros.

https://www.chiadoeditora.com/livraria/a-guerra-de-lobEra maio de 1968.   Lob estava prestes a completar 20 anos e via a guerra colonial na África portuguesa, com início em Angola, interferir em seu destino.  O conflito rapidamente havia se estendido por Moçambique e Guiné nos primeiros 6 anos.  Os protestos pela paz e amor já ultrapassavam as fronteiras da Europa, mas as hostilidades contra o domínio português em terras africanas só aumentavam e a guerra parecia não ter fim

"Confesso-me enamorado, apaixonado por alguém que 'nunca vi' , 'nunca conheci', e provavelmente nunca conhecerei."

Lob nasceu em Serra das Estrelas, Sobral, uma aldeia afastada em Corvilhã, Portugal.  Agora, diante da aproximação da apresentação para o serviço militar, sentia-se dividido.  Deveria  fazer como muitos amigos, que  fugiam pelas fronteiras buscando a tão sonhada liberdade,  refugiando-se principalmente na França, para tentar uma nova vida, ou alistar-se por ideais de justiça, lutar pela libertação dos povos oprimidos, como outros faziam?

"Era assim que a guerra de Lob se ia passando.  A normalidade na anormalidade, que é pessoas prepararem outras para uma guerra a quem não perguntaram se a queriam fazer."
Lob era um jovem cheio de vida, brincalhão, alegre e cheio de disposição.   E, de repente,  a guerra parecia destruir seu presente, enterrando seu  futuro diante de seus olhos.
Desde a inspeção militar, passou por todos os treinamentos que o levaria a uma guerra, que pareceria ser mais dos outros que dele, pois considerava aquela batalha injusta e inútil.  A triste realidade que o tornou apenas mais um número, o soldado 39, logo ele o mais antimilitar que existia. Agora era um guerreiro, combatente, um atirador de infantaria.  Lob, passou a registrar em seu pequeno caderno as angustias, os medos e os momentos que viveria a partir daquele dia.

"Chegou a vez de Lob ouvir na parada, pela primeira vez o seu nome, deixando de ser um número... e saber a especialidade atribuída...  ATIRADOR DE ARTILHARIA, (esse mesmo) que Lob já sabia ser o mesmo que atirador de cavalaria ou infantaria... Era atirador e pronto!"

Lob foi mobilizado para a Companhia Independente de Intervenção, a CART 2763 com destino marcado para Moçambique, onde mais tarde assumiria o comando do grupo, do pelotão. O objetivo da CART era manter a segurança das máquinas e trabalhadores na pavimentação da estrada entre Macomia e Oasse.  Logo se instalaram no Monte das Oliveiras.

Lob negou qualquer ligação com o mundo que deixava para trás, não deixou nenhuma namorada ou madrinha de guerra que lhe escrevesse cartas ou esperasse por ele, pois não queria ser motivo de sofrimento para alguém.  Diante das lembranças e recordações dos amigos de infância e mesmo daqueles que conheceu no período da guerra, como Quelhas, com quem compartilhou o momento de ser definido apto pelo serviço militar, Lob se sentiu, muitas vezes, angustiado em deixar toda sua vida em função da guerra.  Os momentos com Ana Paula no comboio, Celeste com quem passa uma noite, Joana, Karmem e Maria Luísa, de quem jamais se esqueceu.

"Agora tenho de lutar por mim e é por isso que sofro e deixo correr, não as lágrimas de feridas já curadas, mas o suor que o sol insensível e esquecido da guerra faz correr."

Todos os acontecimentos, as pequenas ou grandes conquistas, as derrotas que mesmo pequenas se faziam grandes e tristes, cheias de perdas.   O medo das emboscadas a cada segundo.  Como esquecer da noite em que dormiu ao lado dos corpos de soldados, esperando para serem embarcados para sua terra natal, apenas com uma placa que os identificava.

Ao fim de dois anos na guerra, depois de dedicar toda sua sorte ao bigode que cultivou, mesmo contra a pressão dos superiores, Lob havia mudado.  Não podia mais ser o mesmo depois de tudo o que viveu. 

"A África fazia parte dos seus três anos de vida que não vivera, três anos de vida que descontaria à idade que tinha, como tinha dito aos seus amigos, forçados a serem amigos, por causa da participação numa guerra que, desde o princípio, nunca considerou sua."

A CART 2763, cumpriu dois anos na guerra, era o tempo estipulado de serviço.  Talvez a única certeza fosse de que a guerra havia passado, mas será que se esqueceriam da guerra? 

Lobo Mata consegue nos guiar na estória através dos olhos de Lob, e dificilmente o leitor não vive intensamente cada segundo, cada despedida dessa guerra.  O livro, além dos textos escritos por Lob em seu caderno, agrega falas da memória futura do autor, o que, em muitas situações, já nos dá uma visão do que o personagem ainda não sabe.  Isso realmente dá uma tristeza, em saber que nem todos os seus sonhos e desejos se realizariam.  Eu recomendo muitíssimo esse livro.

"Tão rapidamente como começara, tudo terminou."


Sobre o autor :


Lobo Mata (pseudônimo literário de Virgílio Marques)

O Autor, nasceu a 27 de maio de 1948 na aldeia do Sobral de São Miguel (Covilhã).

Mobilizado pelo RAP2-Gaia para servir em Moçambique, entre 19 de agosto 1970 e 17de novembro de 1972 cumpriu a sua comissão militar integrado na CArt2763, no Monte das Oliveiras (Cabo Delgado) e em Changara (Tete).

Visite o site dos veteranos AQUI





quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Resenha: O Vampiro - Ed. Kiron

"Segundo relatos, o autor João Antonio Lopes teria nascido na Constelação de Andrômeda, há milhares de anos luz da Terra; se você duvida, leia seus livros e terá certeza."   Essa informação consta na orelha do livro e só posso dizer a vocês:  não duvidem!  Qualquer busca na internet trará inúmeros vídeos dessa figura ímpar, conhecido em sua cidade como João da Bateria e, acreditem, ele não é músico, o autor tem uma loja de baterias automotivas.

A enigmática capa e os caracteres que anunciam O Vampiro, publicado pela Editora Kiron, foram suficientes para despertar minha curiosidade sobre o enredo.  A primeira descoberta foi que o livro divide-se em quatro contos e que a capa retrata apenas o primeiro deles.   O livro tem um formato pequeno, super prático para carregar e ler onde quiser.  Com apenas 154 páginas, é uma leitura que se desenrola em um suspiro.  As estórias são ágeis, cheias de acontecimentos a cada página.  Vamos conhecer um pouquinho sobre cada conto.

O Vampiro

Brasil.  O ano era 1635, quando o filho doente de um poderoso coronel, preso a uma cadeira, quase sem movimentos,  é milagrosamente "curado" pelas mãos de uma escrava, com estranhas gotinhas de sangue transformadas em um elixir poderoso.   O conto narra a trajetória e as descobertas de Pedro, o Vampiro, durante séculos.  Fala de seus amores e suas perdas, surpreendendo-nos, até mesmo, com revelações "reais" acerca da morte de Bin Laden.   Em poucas páginas o autor nos leva através dos séculos, em uma narrativa dinâmica a anos futuros. 

Lucas e sua jornada

Em 1940, aos 10 anos, Lucas já tinha conhecido o abandono por várias vezes.  Cresceu com o coração cercado de frieza, evitando qualquer vínculo amoroso, tentando impedir qualquer afeto que o fizesse sofrer novamente.  Se torna um homem rico e poderoso, mas não podia imaginar que uma bela jovem conquistaria seu coração, quebrando a velha barreira construída.  Mas isso seria apenas o início de tudo...

O Político

O conto fala de Fabrício, um jovem muito inteligente e honesto que engaja na política na cidade de João de Deus, buscando acabar com toda corrupção e roubalheira, em um jogo político dominado por roubos, brigas e abusos entre partidos.  De mandato em mandato até o consagrado cargo de Presidente da República, conhecemos o que se esconde nos escombros da política. Ah, é tudo fictício, hein!

Thor - o estuprado

Um jovem rico e bonito perante a sociedade escondia um terrível segredo.  Usava seu dinheiro para estuprar e agredir mulheres, escondendo todos seus vestígios.  Junto à vítima deixava apenas um pequeno presente.  Helena, sonhou desde pequena em ser médica, até que seu destino se cruzou com Thor, mudando completamente sua vida.  Agora começa uma busca implacável pelo terrível agressor, com um final surpreendente que chocará os mais sensíveis.

O estilo do autor logo fica evidente em cada página, de forma que o identificamos em todos os contos.   João Antônio Lopes consegue passear tranquilamente por trechos que chocariam um leitor desavisado, como cenas de violência ou sexuais.  Permanece no limite apropriado, dentro do proposto, reforçando a personalidade de seus contos, sem abusar de tais recursos ou perder seu estilo.  Encontrei alguns erros de revisão e ortográficos nesta edição, o que, de nenhuma forma, fez diminuir meu engajamento com a leitura. Acredito que, se ainda não foram consertados, certamente serão em próximas edições.

Em todos os contos há espaço para uma reflexão ou, se preferirem, um aprendizado.  Embora rápida, a leitura nos segura e cumpre bem o seu papel.  Vamos valorizar nossos autores, conheçam o João da Bateria.  Boa leitura!

    www.livrariakiron.com.br
    http://www.livrariakiron.com.br/livros.html
  • Editora: Kiron
  • Autor: João Antonio Lopes
  • ISBN: 978-85-8113-300-3
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2014
  • Edição: 1
  • Página: 154
  • Acabamento: Brochura
  • Dimensões: 14x21cm
       Compre o livro Impresso AQUI
       Versão Digital na Amazon
       Conheçam outros livros da editora na Livraria Kiron






domingo, 31 de julho de 2016

Resenha: O corpo fala (ilustrado) - Ed. Vozes

O corpo fala - ilustrado - Gestos reveladores e sinais eficazes de Monika Matschnig é best-seller na Europa e foi publicado pela Editora Vozes no Brasil. O livro é um verdadeiro manual de sobrevivência, diante das falhas de comunicação que enfrentamos diariamente.  O estresse diário, agitação e nervosismo faz com que muitas oportunidades se desmoronem diante de nossos olhos.

O corpo não mente, eis a premissa da autora, baseada em diversos estudos mundiais.  Nenhum movimento do nosso corpo é por acaso, todo gesto, por mais simples que pareça, é carregado de significado.  Transmitimos de forma inconsciente através deles muitas informações, mesmo que as palavras digam o contrário.  A boa notícia é que podemos aprender a controlar e conduzir pela razão grande parte de nossos gestos e movimentos, tendo assim, grande vantagem nas situações em que interagimos.

Seguindo os conselhos da autora, e com um pouco de esforço, podemos impressionar positivamente desde o primeiro contato, seja nas entrevistas de emprego, encontros profissionais, relacionamentos diários e amorosos. É exatamente isso, é possível dá uma forcinha na hora da paquera e se sair muito bem!

O livro é dividido por assuntos, que por sua vez apresenta seus tópicos.  Podemos, por exemplo, avaliar se numa conversa a outra pessoa realmente concorda com nossos comentários ou, ao menos, está disposta a ouvir-nos.  Aprenderemos ao longo dos capítulos a interpretar a linguagem corporal e também emprega-la direcionando às necessidades nas diferentes áreas da vida.  Os assuntos são desenvolvidos com linguagem simples e possuem muitos treinos para colocar em prática na nossa rotina e mudar hábitos negativos.  Nos tornaremos capazes de analisar desde um aperto de mãos até um simples aceno, ou mesmo o que se esconde por detrás de um pequeno sorriso.

Quem nunca se encantou com alguém à primeira vista ou mesmo sentiu antipatia sem nem mesmo ter ouvido uma única palavra?  O primeiro contato é muito importante para formar opiniões e você pode aprender a se apresentar da melhor forma, de modo que cause uma boa impressão nas outras pessoas.  O corpo fala ensina algumas técnicas para esbanjar simpatia e conseguir ótimos resultados em suas relações.

"Antes de estender a mão para cumprimentar alguém, via de regra nós olhamos diretamente nos olhos.  Essa forma de contato visual tem muito significado:  pessoas que o evitam são vistas como tímidas e inseguras, ou transmitem a impressão de terem algo a esconder.  Em contrapartida, quem estabelece contato visual aberto e tranquilo desperta a confiança de seus interlocutores.  Um olhar de cerca de três segundos certamente é notado, e um de mais de quatro segundos é percebido como um sinal claro de interesse.  Todavia, contatos visuais ainda mais longos podem ser recebidos como uma ameaça, pois o interlocutor geralmente se sente invadido."

Outro capítulo muito interessante é sobre o chamado medo dos holofotes, aquela insegurança que bate quando precisamos falar em público, seja em pequenas reuniões, apresentações em colégio ou qualquer outro ambiente.  Devemos aprender a lidar com o nervosismo em situações estressantes.  E eu que sempre jurei que me agarrar a algum objeto, como uma caneta, facilitava o processo.   Ledo engano!

"Os erros estão aí para aprendermos com eles, e podem ser tudo, mas jamais são idiotas.  Só é idiotice quando alguém comete um erro com plena consciência dele - talvez por não querer admitir que não seja capaz de fazer algo, por exemplo."

Um tema extremamente curioso é entender a forma como homens e mulheres são diferentes ao tentar conquistar seu objeto de desejo.  É  incrível como muitos detalhes e características  masculinas e femininas estejam ligados a instintos primitivos, como reprodução, caça e sobrevivência.  São detalhes que se manifestam de forma inconsciente, mas são facilmente percebidos.  E, claro, podemos usar tudo isso a nosso favor nas próximas paqueras ou reacender a chama da paixão em nossos relacionamentos. Muitos gestos e sinais acompanham o casal desde os primeiros contatos até durante anos de convivência, sempre mostrando a verdadeira situação da relação.   Podemos influenciar positivamente no relacionamento através da linguagem corporal adequada a cada caso.

"Seja sincero:  quantas vezes você já não sonhou com um daqueles célebres beijos de Hollywood?  Quando ele olha profundamente nos olhos dela, enlaça forte o seu corpo com os braços, aperta-o contra o seu e os lábios finalmente se encontram, cheios de desejo.  Não precisa ter inveja!  Você não está perdendo nada, pois beijos como esses são mais encenação que realidade - e por isso são sinal de um bloqueio emocional."

Atualmente, além das qualificações específicas da profissão, as empresas valorizam a habilidade da boa comunicação, trazendo vantagem clara em negociações, apresentação ou mesmo na interação dentro da empresa.  De  nada servem os melhores cursos se não somos capazes de nos mostrar autoconfiantes e  de apresentar da melhor maneira os conhecimentos técnicos adquiridos.  Quando conseguimos empregar gestos e sinais adequados e interpretar os sinais vindos das outras pessoas, seremos convincentes e confiáveis e não haverá obstáculos para o sucesso profissional.

Há cerca de cinco mil gestos diferentes identificados no mundo todo.  

São movimentos de braços, mãos, cabeça, pernas e pés, além de pequenos gestos de olhos, sobrancelhas  e boca.  Através deles podemos nos comunicar, praticamente substituindo a fala.  Isso demonstra a grande importância dos gestos em nossa vida.

Com conhecimento e treino, você verá resultados imediatos e isso se tornará um hábito, trazendo inúmeros benefícios positivos para sua vida.  Basta praticar para você se sentir mais seguro e dominar as interações. Você pode treinar em qualquer lugar, com a família ou amigos, ao comprar pão na padaria ou com o vizinho na esquina.
Outra coisa bem legal é um pequeno teste, onde você poderá identificar facilmente o tipo de personalidade que possui.  Sem contar, que ao  classificar as pessoas com quem você convive segundo os 4 diferentes tipos de personalidade, você aprenderá a lidar com cada um de forma mais eficaz.  Confesso que me identifiquei totalmente com o meu resultado e foi inevitável e divertido classificar os conhecidos em cada grupo.

O corpo fala da Editora Vozes foi editado conforme o novo acordo ortográfico, tem páginas com qualidade fotográfica e figuras bem distribuídas. Um trabalho impecável!   Depois de tudo, não tenho como deixar de indicar esse livro para todas as pessoas, afinal, ninguém vive isolado e necessitamos das interações para conquistar nossos objetivos em qualquer campo de nossas vidas. Identifiquei em mim muitas qualidades, e também muitos sinais de insegurança e trabalharei  em cada um deles.  É um livro que nunca ficará jogado no canto da estante, pelo contrário, deve ser uma ferramenta de apoio no dia a dia.  Pode ser encontrado para venda em diversas livrarias e também no link da editora, logo abaixo.  Não deixem de conferir!

http://www.universovozes.com.br/livrariavozes/web/view/DetalheProdutoCommerce.aspx?ProdID=8532645976&Título: O corpo fala - ilustrado: gestos reveladores e sinais eficazes
Autora: Monia Matschig
Tradução: Fernanda Romero  Fernandes
Editora Vozes
3ª Edição - 2014
Páginas :  200

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Resenha: Caixa de Pássaros


Não abra os olhos!  Esse é o conselho de Johs Malerman no thriller psicológico Caixa de Pássaros. Durante muito tempo Malorie e as crianças, o Garoto e a Menina, não puderam ver a luz do dia. Esperaram ansiosos pelo momento certo de se aventurarem em uma fuga, sob forte neblina. 

Seriam 32 km pelo rio, buscando o que poderia ser a salvação de suas vidas.  Ela sabia que estavam a caminho de um lugar que poderia não mais existir, mas não havia outra esperança.

Quem me embarcou nessa aventura foi a Marcia Lopes do blog Mundo Literário.  Foi um presentão que ela me enviou e agradeço muitíssimo o carinho e a escolha do livro.  Eu adorei e quero dividir com vocês cada sensação que tive durante a leitura.

“O homem é a criatura que ele teme.”
 
Há mais de 4 anos Malorie não via o mundo exterior e as crianças nunca viram. Ela falou para os filhos sobre uma viagem, mas nunca sobre fuga, somente avisou que aquele dia chegaria. E agora iam se afastar da casa que os protegeu a vida inteira.  As crianças foram treinadas para ouvir, podiam escutar um sorriso e identificar o medo através dele.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Autor: Eduardo Timbó

O blog está duplamente feliz, isso é fato!   Tenho o prazer de apresentar para vocês a parceria com o Eduardo Timbó, autor do livro Deixe para mais tarde da Chiado Editora. Outra novidade é que o escritor também iniciará sua participação como colaborador no AtraenteMente, trazendo  resenhas e pequenas matérias.   

Eduardo Timbó tem 33 anos, é graduado em Letras pela UECE, mestre em Literatura Brasileira pela UFRJ e doutor em Literatura Comparada também pela UFRJ.  Atualmente é  professor de Português e Inglês em São Benedito, Ceará.

"Escrevo sempre tendo em vista levar para casa o prêmio Levando esta bagaça da vida em frente, há 33 edições não perco uma." (Eduardo Timbó)

Eduardo Timbó é um sujeito policrônico que encontra felicidade desempenhando diversas tarefas ao mesmo tempo.  Compõe, canta e toca na Jossa Nova, projeto musical criado à tarde na sua sala de estar. Aventura-se em alguns estudos e teses em literatura comparada pela UFRJ. No entanto, só percebera que tudo isso era possível quando desempenhava seu papel como ator. Escreve conto e poesia porque acha que assim ele preserva a natureza, a sua.
 

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Autor: Tiago C. F. Ramos


Temos uma parceria de outro mundo no blog. Tiago Cerqueira F. Ramos, nasceu em 1982 no bairro Bento Ribeiro, Rio de Janeiro, terra de Ronaldo Fenômeno. Carioca da gema, dividiu a infância e juventude entre o bairro em que nasceu e Campo Grande, outro bairro da cidade.  

Herdou dos avós o amor por Minas Gerais, Bahia e Recife. Hoje funcionário público no departamento de trânsito do Rio de Janeiro e apaixonado pela cultura pop dos anos 80. É casado com Marilene e tem muita aventura para contar em seus livros.
“Posso me chamar de flamenguista, porém, futebol não é uma das minhas preocupações”. (Tiago)  

Tiago C. F. Ramos é o autor da saga O conto das Lendas.  A série será dividida em três partes com três volumes cada, totalizando nove livros.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Resenha: A outra chance


O livro A outra chance de Afonso Celso, narra a trajetória de Luis Radiane, um jovem e ambicioso advogado, então com 28 anos, que presta concurso público e se torna um promotor conceituado, casando-se com Sônia, uma jovem médica com uma carreira também  promissora, com quem deseja ter filhos e formar uma família, comprar um barco e passar momentos felizes velejando.  Tudo isso parece perfeitinho demais, mas não se engane.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Entrevista com o autor Afonso Celso Brandão de Sá




O autor Afonso Celso Brandão de Sá, parceiro aqui do blog, conseguiu um tempinho diante de tantos projetos e nos concedeu uma entrevista exclusiva. Vamos conhecer um pouco melhor o autor e também falar sobre seus livros e muitas novidades que estão a caminho.  

Nos próximos dias postarei aqui no blog a resenha do livro A outra chance.  Enquanto isso, confiram o bate papo com o autor:

Como é o seu processo de criação?
Não é uma coisa programada ou repetitiva. Quando tenho um enredo pronto, simplesmente começo a escrever. A estória flui naturalmente.