slide-slick

terça-feira, 10 de julho de 2018

Resenha: Apanhadores de possibilidades nos campos do infinito - Ricardo de Faria Barros (Kiron)

  Não se conforme, não se acomode, mude.


Apanhadores de possibilidades nos campos do infinito é um livro de crônicas do autor Ricardo de Faria Barros, publicado pela Editora Kiron e já se encontra em sua 2ª edição.   Em seus textos, o autor nos mostra a importância de olhar e perceber o que acontece ao nosso redor. 
Muitas vezes deixamos a vida passar despercebida e não enxergamos a beleza dos momentos aparentemente sutis.  Nesses instantes perdemos a oportunidade de vislumbrar a grandeza das coisas simples.

Gosto da metáfora da fotografia e da câmera e suas possibilidades de tocarem o infinito, registrando-o para eternidade.

Ricardo tem uma escrita envolvente e dinâmica, que muitas vezes soa como um desabafo.  A cada crônica mergulhamos um pouco em seu universo e nos esbarramos com pessoas que fazem parte de sua vida  ou simplesmente cruzaram seu caminho.  Nesse sentido, poderia dizer que o livro de Ricardo é autobiográfico.  O autor se desnuda de seus medos e anseios e se entrega de forma apaixonada ao ritmo da vida, expondo cada passo nas páginas dessa obra.

Mudar não é nada fácil.


Em seus textos, o autor explora expectativas e possibilidades e nos mostra a importância de nunca ficarmos parados.   Há momentos que são únicos, simplesmente passam e jamais voltarão.  Não devemos ignorá-los esperando uma próxima vez, pois quando percebemos não haverá outras oportunidades, pois a vida é ligeira e vai deixando tudo para trás.  Por isso devemos nos agarrar às motivações que nos impulsionam e nos movem a viver intensamente cada segundo.

Um pouco de imperfeição e loucura 
são fundamentais para a saúde mental.

A escrita de Ricardo é cheia de referências e analogias.  O autor mostra força e sensibilidade nos incentivando a encarar as mudanças e aceitar os desafios.  É também uma busca por conhecimento em cada reflexão, onde muitas vezes, através de seus impulsos, testa seus limites.  Dessa forma, acabamos nos identificando com seus relatos.

(...) amar é um tanto arriscado. 

Ricardo é um homem simples, apaixonado pela vida e cheio de manias como colecionar antiquários.  É do tipo que ao errar o caminho na rodovia aproveita para apreciar a paisagem e tirar fotos.  É daqueles pais babões que faz o leitor se encantar pelo pequeno JG de tanto amor que existe.



(...) sempre haverá alguém a esperar por nós (...)


Nem só de boas lembranças são construídas as crônicas do autor.  Ele fala de intolerância, das nossas pequenas explosões, dos erros em apontar culpados onde não há culpa.  Ricardo mostra a força dos seus textos em vários momentos, como por exemplo quando fala em solidariedade, abordando desigualdade social e descaso público.  Conta como foi enfrentar a Síndrome de Burnout, que é o esgotamento profissional e todas as mazelas que acarreta, sendo de difícil diagnóstico.  

Tirem fotos, bastante fotos.  Elas mostrarão seus bons momentos e ajudarão a suportar os dias de infelicidade. 

São assuntos tão variados que é inviável falar de todos nessa resenha, mas um deles não poderia ficar de fora.  O autor utiliza a centenária técnica japonesa Kintsugi, que cola pedaços de jarros preciosos com ouro derretido para ilustrar sua própria vida.  O autor nos mostra como encontrou pessoas em momentos difíceis que juntou seus cacos e o fortaleceu para que seguisse ainda mais forte em seu caminho.




O que me preocupa é se estamos perdendo a capacidade de conversar, sem ter que editar o texto. De expressar emoções, sem ter que retocar a cena.

Uma pena as fotos que ilustram as crônicas não serem coloridas, afinal elas são parte importante do contexto e isso impede que o olhar apurado do autor seja totalmente representado. Fotografia é uma das paixões de Ricardo e ele não perde uma oportunidade de eternizar seus momentos. A falta da cor nas fotos nos impede de identificar cores e detalhes, mas ainda assim as imagens têm presença fundamental em cada estória.

Ninguém quer varrer o chão 
para o show do outro que vai começar.

O livro tem 276 páginas e folhas brancas.  Com 66 crônicas e uma introdução, o autor nos leva a refletir sobre a forma como vivemos a própria vida.  Ricardo não traz fórmulas prontas, exercícios ou técnicas que podem ser cansativas e chatas para alguns leitores.  O autor simplesmente nos mostra a importância de olhar tudo por outros ângulos e se embriagar com a intensidade e  a beleza das pequenas coisas.  Depois desse livro, o leitor com certeza irá apreciar a vida com mais beleza.  Boa leitura!

"Outro dia fui numa cerimônia de colégio, na qual algumas crianças foram premiadas, uns 20% do grupo.  Os outros ficaram aplaudindo.  Foi premiado o destaque em matemática, em português, em desenhos, no esporte, etc... etc.
Não havia prêmio para o aluno amigo, o aluno solidário, o aluno bondoso, o aluno que dividiu seu lanche ou brinquedos.  O aluno que não fez bullying, não agrediu seu professor ou colega.
Não havia esses prêmios.  Os prêmios refletem o modelo de sociedade que estamos produzindo e criando para nossos filhos."



Apanhadores de Possibilidades nos campos do infinito
http://www.livrariakiron.com.br/sonho-do-drag-o.html Autor:  Ricardo Faria Barros
Editora:  Kiron
Páginas: 276
ISBN 978-85-8113-472-7
Edição: 2ª (Maio/2017)
Dimensão : 22x15cm



  Redes Sociais da Kiron

https://www.facebook.com/editorakironhttps://instagram.com/editorakiron/http://www.youtube.com/user/editorakironhttp://twitter.com/#!/kironeditora


Onde Comprar

http://www.livrariakiron.com.br/sobre-a-vida-e-o-viver.html



E-book

https://www.amazon.com.br/Chagas-fic%C3%A7%C3%A3o-cient%C3%ADfica-Antonio-Teixeira-ebook/dp/B0798VQMXQ/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1516882818&sr=8-1&keywords=Chagas+kiron

https://www.saraiva.com.br/sobre-a-vida-e-o-viver-7276775.html




Sobre o Autor

Ricardo de Faria Barros, o Ricardim, tem 47 anos, nasceu em Campina Grande-PB e reside em Brasília-DF. Teve sua visão de mundo bastante influenciada pelas pastorais sociais da Igreja Católica, pela Logoterapia de Viktor Frankl e pela concepção de educação de Paulo Freire e Edgar Morin.
Foi um dos fundadores da ONG - Grupo de Apoio à Vida, o GAV, que luta pelos direitos de pessoas vivendo e convivendo com HIV-AIDS, na Paraíba.
É funcionário do Banco do Brasil, desde 1986. Atualmente gerencia a Divisão de "Capital Humano", na Diretoria de Tecnologia - DITEC. É educador corporativo da UNIBB, e professor de pós-graduação na área de gestão de pessoas e administração.
  • Graduou-se em Psicologia (UEPB);
  • Fez especialização em Gestão de Pessoas (USP);
  • Tem mestrado em Gestão Social e Trabalho (UNB);
  • Consultor e palestrante, com ênfase em capital humano, gestão de pessoas e desenvolvimento sustentável;
  • É o autor do blog Bode com Farinha:
Contato com o Autor:



* Livro gentilmente cedido pelo autor.

10 comentários:

  1. Achei interessante a obra desse autor, ainda mais que ele é formado em Psicologia, ele irá dar dicas valiosas de como aproveitarmos nossa vida. A dica de tirar muitas fotos para deixar registrado os momentos felizes de nossas vidas já é uma excelente dica.

    Gustavo
    http://www.leituraenigmatica.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gustavo. Eu também gostei muito da dica das fotos e de que elas se tornam lembranças de dias felizes que podem aconchegar nosso futuro. Obrigado pela visita.

      Excluir
  2. Muito interessante o autor Ricardo de Faria Barros, mostrar no livro a importância de olhar e saber o que acontece que se passa ao nosso a redor, isso é importante, o autor nos faz refletir muito, muito bom o livro, é sempre bom apreciar um bom livro, abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo sempre bom nos depararmos com um livro tão sensível e com histórias incríveis que podem nos fazer refletir sobre nossa própria vida. Obrigado pela visita.

      Excluir
  3. Que livro lindo, tão inspirador e verdadeiro! Concordo inteiramente, devemos aproveitar todos os pequenos momentos de felicidade, a vida passa tão rápido, quando nos damos conta a oportunidade de ser feliz passou e nem nos demos conta. A ideia de tirar sempre muitas fotos para funcionarem como boas lembranças em dias difíceis é muito interessante, funcionaria como um alento pra uma alma triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Patrícia. É sim, um livro muito inspirador. Cada crônica nos apresenta um bom motivo para rever muitas coisas em nossa vida.

      Excluir
  4. Esses momentos da vida e essas perspectivas que muitas vezes deixamos passar... Parece muito interessante o livro do Ricardo! Eu amo crônicas então já me vejo amando o livro. Obrigada pela ótima resenha!

    ResponderExcluir
  5. O tema interessante e atual, temos que vislumbrar a vida de outras maneiras, interagirmos mais com as outras pessoas, deixarmos que a cada momento seja uma nova descoberta e que sejamos felizes a cada segundo de vida.

    ResponderExcluir
  6. Interessante a ideia do livro em si
    Eu não conhecia e achei a mensagem bem bonita.

    Tenha uma ótima noite!

    Abraços,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  7. Este autor em seus livros, ele propõe para mostrar um pouco da nossa sociedade podre e corrupta, devemos ter pessoas corajosas que fazem isso. Apontar culpado onde sem ter o culpado muito interessante. Ele em seus livros toma uma alta afirmação da sociedade de hoje, abordando a desigualdade social e descuido que vale a pena ler seus livros amei a declaração.Desejo Sucesso para o autor com seu lindo trabalho.

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita. Deixe sua mensagem, é muito bom saber sua opinião.