slide-slick

Resenha: Vão Livre - Tomas Rosenfeld (Reformatório)

em terça-feira, 1 de outubro de 2019

Esse plano nunca foi nosso.

 
Vão Livre é o segundo livro de Tomas Rosenfeld, e foi publicado pela Editora Reformatório em 2019.  As nuances que constroem e desconstroem o relacionamento humano.  O vazio que insiste em corroer os sentimentos e dar novas perspectivas na vida de um casal.  E quando se descobre que os sonhos não são mais suficientes?

Andamos de mãos dadas pelos cômodos imaginários.

Um casal holandês decide largar uma vida confortável em seu país e  se mudar com as duas filhas pequenas para o Brasil.   Depois de se encantar com o projeto arquitetônico do MASP e seus enormes vãos entre as colunas, eles acabam escolhendo São Paulo para iniciar essa nova fase em suas vidas.  A oportunidade de conhecer outra cultura e construir uma casa dos sonhos para a família, a princípio parecia revigorar a relação que, aos poucos, foi se mostrando instável aos olhos do leitor. 


Kess era um jovem milionário quando se apaixonou por Karin, mas a pedido dela, antes mesmo do casamento, ele doou quase todo o dinheiro da venda de sua empresa, ficando apenas com o necessário para que pudessem viver uma vida confortável e construir uma casa que seria o lar perfeito. Dessa forma, ganhariam o sustento do próprio trabalho, e possivelmente, seriam felizes sem excessos.

Kess era um homem de negócios e Karin era designer de joias.  Para ele, planejar e construir a casa perfeita era uma grande aventura.  Para ela, uma forma de compensá-lo pelo dinheiro doado.  Desde os primeiros rabiscos no projeto, passando por cada etapa na construção, até o assentamento do último tijolo, acompanhamos também os movimentos na vida do casal.

Construir juntos era um ato de intimidade extrema. 

O vazio na relação se torna evidente com o novo país.  A necessidade dela em preencher o vazio se torna sufocante.  Cada um vive em seu universo particular, e reage de formas diferentes à cultura de um novo país.   O que era emocionalmente confortável, sofre o desgaste diante do impacto das diferenças que se tornam evidentes.  Diante da possibilidade das possíveis frustrações, a ideia da casa tomando forma transforma-se em uma prisão.

Nossos sorrisos não eram propriamente falsos, mas vazios.

Esse é o segundo romance do autor,  Tomas Rosenfeld, que  foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura na categoria autor estreante, com seu primeiro romance, Para não dizer que não falei de Flora (7Letras, 2015).  Em Vão Livre, o projeto arquitetônico que daria forma à casa dos sonhos do casal, se torna símbolo das movimentações delicadas e das transformações vividas por eles nessa nova fase da vida.  Aos poucos, cada um começa a vivenciar seu papel na relação e a refletir sobre o  que espera do futuro, que se apresenta como um roteiro já escrito. 

Um lugar para se sentir livre parece um bom sonho (...)

O livro é dividido em 5 partes, em que os protagonistas se alternam na narrativa, em 1ª pessoa, dando a oportunidade para que o leitor enxergue por ângulos distintos alguns acontecimentos. As páginas são amareladas e folhas pretas separam cada uma das partes.  O livro é de leitura rápida e fluída.  O texto é repleto de simbolismo e há muitos detalhes sugeridos nas entrelinhas.




http://reformatorio.com.br/Vão Livre
Autor: Tomas Rosenfeld
Editora Reformatório
Edição 1ª (2019)
Páginas:  184
Dimensão:  14x21cm
ISBN:  978-85-66887-52-5




https://www.youtube.com/channel/UCBoEPNh2Q97kT2N0-SbvYkwhttps://www.instagram.com/oasyscultural/https://www.facebook.com/oasyscultural/




Onde Comprar:


http://www.tanlup.com/vao-livre-de-tomas-rosenfeld-1209977



Sobre o Autor:

https://www.facebook.com/tomas.rosenfeld.9


Tomas Rosenfeld nasceu em São Paulo, em 1986.  É formado em Relações Internacionais pela USP e desde 2009 trabalha com temas ligados à inovação social.  Para não dizer que não falei de Flora (Editora 7 Letras, 2015), seu primeiro romance, foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura.
(Foto:  Flávia Borger)




* Livro gentilmente cedido pela Oasys Cultural.

Um comentário:

  1. Amei a resenha
    O livro parece ser muito interessante!

    Beijos
    Preguiça literária

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita. Deixe sua mensagem, é muito bom saber sua opinião.

Topo