slide-slick

terça-feira, 26 de março de 2019

Resenha: No Zênite da Insanidade - Dylan Ricardo (Chiado)

Entre sorrisos ou prantos somos todos iguais (...)
(Passado, presente e futuro  - p.34)


No Zênite da Insanidade, do autor Dylan Ricardo, foi publicado pela Editora Chiado em 2018.  Entre lembranças e dores, palavras e versos, as poesias formam o retrato de um artista e sua relação com tudo que o cerca.

Uma introdução longa, mas extremamente sincera, nos dá a dimensão do que encontraremos nas páginas desse livro.  O autor se desnuda em uma conversa franca com o leitor, abrindo gavetas empoeiradas, escancarando portas que dão acesso a corredores escuros e sombrios, mostrando um pouco de seu universo de insanidades. Dylan Ricardo expõe de forma clara e honesta a realidade de seus dias, compartilhando suas experiências de forma real, expondo suas feridas em carne viva. Pode parecer um convite, ou um aviso de perigo, mas aos leitores cabe a decisão de dar o próximo passo.  A escolha será sua!  Por si só, isso já valeria o livro.

E a cada sorriso que ensaio, sempre, sempre surge um motivo para que ele seja varrido da face tão rapidamente quanto manifestou-se.   
(Trecho da introdução - p. 12)

Lidar com as inquietações que se acumulam ao longo da vida nem sempre é tarefa simples.  A experiência de cada ser humano é única e define nossos próprios caminhos.  As palavras brotam como sangue nas mãos de Dylan Ricardo, que expõe suas pequenas torturas.   Sua trajetória repleta de obscuridades e lamentos, definem o homem que se esconde em cada poesia.

O mundo está em constante movimento.  A agitação diária é assustadora, pessoas que transitam automaticamente em um vai-e-vem frenético acabam dominando todos os espaços, onde alguns parecem não se encaixar.  É sufocante a euforia lá fora.  Por isso Dylan Ricardo parece flertar com sua própria solidão e desassossego.

Poeirentos registros suspirados por doces lábios
que transportam recordações aos meus ouvidos.
(Trecho de Solitude- p. 97) 

A poesia transforma-se em uma porta para que suas dores e angústias tomem forma.  Talvez assim, alguns possam encontrar uma ponte que lhes mostrará que não estão sozinhos, enquanto outros sintam repugnância com essa dor.  Mas isso pouco importa!  O que importa é expressar-se.

As noites e as madrugadas são suas companheiras, ao sentir-se definhando perante a vida que passa pela fresta da janela. O confronto com velhos fantasmas, aprisionados em sua vivência, marcam sua tortura diária. 

Com tristeza beijam-me anjos caídos, por cada angústia dos erros incorridos. 
(Trecho de Considerações - p. 67)

O aperfeiçoamento de sua técnica literária, ao longo dos anos, desenhou o estilo atual, mais sofisticado nas palavras e requintado na estética.  O amadurecimento do homem e a lapidação do poeta fez nascer um artista sensível e cuidadoso.

A inconstância das emoções, dificuldade de se adaptar, pensamentos destrutivos, depressão, conflitos, pessimismo, decepções e  arrependimentos transformam-se em poesia sobre o olhar do autor.   A relação com a mãe, ausência paterna, o fracasso dos relacionamentos amorosos, o pavor do futuro, os arrependimentos, recordações, sonhos abandonados, saudosismo e revoltas, são temas recorrentes em suas obras.  Os pesadelos que o assombra são transformados em palavras milimetricamente organizadas por um autor exigente e detalhista.

E ao céu das páginas absorto suplício,
partejando as angústias que vivencio
em trovejantes e tempestuosos poemas.
(Trecho de Inspiração - p. 85)

Além de contar sobre suas inspirações e nos fazer entender um pouco de suas vivências, na introdução, Dylan Ricardo fala sobre suas poesias e o custo de estampá-la nas páginas de um livro.  Todo o processo junto às editoras e as imposições aos autores que lutam para construir um sonho, ficando com uma mísera parte das vendas, construiu um cenário injusto e quase impraticável. Concordo plenamente com todas as palavras do autor. 

Seguindo o estilo de grandes mestres que também escancaram em suas palavras as próprias dores e inquietações, Dylan Ricardo constrói cada poema com apuro, perfeição e refinamento, com forte influência gótica  e ultrarromântica.

São aflitas canções da decadência, as palavras.
(Linguagem - p. 54)

Com 142 páginas e 100 poemas, No Zênite da Insanidade nos permite conhecer um pouco mais sobre o autor e sua sintonia com seus pensamentos.  As folhas são amareladas e a fonte é confortável.   Ao aceitar o convite de Dylan Ricardo, o leitor embarca em uma viagem intensa e solitária, que expõe as marcas deixadas ao longo de sua trajetória.

Boa leitura!




https://www.skoob.com.br/livro/807913ED812162

Você poderá adquirir este livro diretamente no site do autor.
 Pesadelos Poéticos

https://pesadelospoeticos.wixsite.com/dylanricardo

 Sobre o Autor

Dylan Ricardo - Escritor e poeta, é autor das obras Mil Poemas e um Suicídio (este com cem sonetos e um conto), Contos noturnos e No Porão da Decadência (o primeiro, que já foi publicado, com dez contos de horror e o segundo com poemas, ainda nas mãos da editora), Nas Brumas do Desalento (prestes a ser lançado), No Zênite da Insanidade, Asas de Pedra, Do Inferno e Estado Terminal (já lançados) todos com poemas de inspiração gótica e ultrarromântica nos quais descreve liricamente trajetórias existenciais abarrotadas de desânimo, decepções e sonhos destruídos. Trazendo reflexões ao leitor sobre a sua própria existência, seus desejos e atos praticados. Muitos desses poemas tornaram-se crônicas do cotidiano de uma personalidade insatisfeita, realista e questionadora, por se referirem a assuntos voltados ao relacionamento humano, às lembranças e à efemeridade da vida.


Contatos do Autor

https://www.instagram.com/_dylanricardo_/https://www.facebook.com/dylan.ricardohttps://twitter.com/DylanRicardo

https://www.skoob.com.br/autor/20713-dylan-ricardo

* O livro foi um presente do autor.

23 comentários:

  1. Olá tudo bem ? O trecho da página 12 o qual você traz na resenha descreve bem a leitura . A insanidade de Dilan Ricardo é uma crônica de uma personalidade insatisfeita e questionadora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso. Ler Dylan Ricardo é refletir sobre nossa própria vivência e, pelo menos pra mim, um motivo para valorizar cada instante de minha vida.

      Excluir
  2. Excelente livro do autor Dylan Ricardo a leitura do livro faz com que o leitor viaje junto nas poesias, a obra do autor é maravilhosa a capa é simplesmente linda bem construída, abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adorei essa capa também, Lucimar. As poesias do autor é de uma intensidade absurda.

      Excluir
  3. O autor conseguiu transformar todos os seus demônios interiores em obras de arte. São poesias intensas que tocam no fundo da alma. Nota-se logo a influência gótica e ultrarromântica, que aliás muito me atrai. Adorei a capa, tem um ar antigo e misterioso, nos transporta para o clima do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso, Patrícia. Quem dera todos nós pudéssemos transformar nossos medos e dores em poesia.

      Excluir
  4. Externizar nossos incômodos anseios é uma forma de aliviar a alma das muitas opressões que a perseguem, tenho certeza de que o autor percebeu esse refúgio e não o deixou escapar. Amo textos que mostram a ansiedade de quem os escreve, é uma forma de nos identificarmos e até encontrarmos respostas.
    Ótima sugestão!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A obra de Dylan é muita intensa, Amilton. Acredito que você gostará.

      Excluir
  5. Eu amo leituras assim, recheada de poemas, bem profundos e que mexe como interior dos leitores assim .Colocar os sentimentos para o exterior é realmente aliviante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O autor expõe todas as suas dores e angústias. É um trabalho intenso e profundo.

      Excluir
  6. Que poemas fortes e reflexivos, o escritor realmente soube exteriorizar seus mais profundos sentimentos. Excelente dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. Espero que possa ler e nos contar o que achou.

      Excluir
  7. Esse livro incomoda, porque é realista!
    É a expressão sincera dos sentimentos ignorados.

    Se hoje em dia soubéssemos lidar com nossos sentimentos "ruins" talvez não sofreriamos tanto.

    É normal não se sentir bem e pleno como o mundo capitalista prega em suas progandas enganosas.

    A vida é feita de coisas ruins tbm!

    Abraços,

    www.meloleticia.com.br

    ResponderExcluir
  8. Fiquei tocada com o poema "Saudoso". Me chamou a atenção o fato do autor usar palavras que não fazem parte do cotidiano. Quero ler os demais poemas com certeza! Obrigada pela indicação!!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O autor tem um vocabulário riquíssimo. Ele se lapidou ao longo dos anos e seus poemas tem uma qualidade indiscutível.

      Excluir
  9. Ando preferindo outros estilos de leitura, porém é uma ótima dica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nique. As poesias do Dylan são fortes e às vezes incômodas. É preciso estar preparado para cada uma delas. obrigado pela visita.

      Excluir
  10. Oi,tudo bem ?

    Gostei bastante da proposta do livro e de conhecer ele pelo ponto de vista de um leitor. Com toda certeza é uma ótima indicação para todos que gostam do gênero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos que gostam desse estilo de poesia devem ler, pois com certeza irão gostar.

      Excluir
  11. Interessante e intrigante! Fiquei curiosa para conhecer a obra! Sua resenha me aponta um livro de poesia diferente dos que tenho lido ao longo da vida. Já anotei a dica aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Vanessa. É bem diferente do que costumamos ver por aí. Geralmente as poesias exploram as belezas, e nesse o autor explora o outro lado desses sentimentos.

      Excluir
  12. Estou impressionada! Não conhecia o autor que chamou e muito minha atenção. A dor dele é explícita e sua coragem ao expor essa dor é desafiadora. Bjo, qjo

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita. Deixe sua mensagem, é muito bom saber sua opinião.