slide-slick

Lidos & Recebidos: Novembro de 2019

em terça-feira, 3 de dezembro de 2019


Novembro passou voando.  Chegamos ao fim do ano e agora partimos para a contagem regressiva do Natal e Réveillon.   Confiram as novidades que chegaram por aqui e também as leituras que fiz no mês de novembro.

Recebidos em Novembro:



Intragável
Autora:  Marília Passos
Editora Labrador
Páginas: 200
Recebido da Autora

Uma mulher forte, assertiva, que não se encolhe diante dos ambientes predominantemente masculinos típicos do mundo financeiro. Pelo contrário. Clarissa faz questão de expor a fraqueza dos inimigos e comemora a humilhação de subordinados infiéis. Segue uma linha não muito diferente em casa: ao marido, Lauro, reserva o papel de secretário do lar e delega todos os cuidados da casa e dos filhos. Mas essa mulher dominadora e pragmática vê a estabilidade ruir quando ouve do submisso marido: “Clarissa, quero me separar de você”. É o início de uma jornada em que, acredita nossa anti-heroína, ela poderá amolecer seu coração e se transformar internamente, o que, segundo essa mesma visão duvidosa, traria sua vida de volta aos eixos. O caminho? Apaixonar-se. Intragável conta, com humor e sarcasmo, os percalços dessa bem-sucedida executiva para manter tudo que conquistou.
Até quando?  A Prisão #2
Autora:  Christiane de Murville
Editora Chiado
Páginas: 328
Recebido da autora



Ao longo de suas inúmeras idas e vindas entre a Terra e seu salão de memórias — local à margem do mundo terreno, que guarda registros de tudo que fez ou não em vida e de seu potencial, assim como imagens de pessoas que magoou, de desejos e sonhos frustrados —, João identifica situações, sensações, humores e cenários possíveis de serem experimentados no mundo. Porém, ainda não tem clareza acerca do que realmente lhe acontece. Nesta segunda parte de suas aventuras terrenas, o efeito das águas do esquecimento que sistematicamente teve que tomar para acalmar memórias incômodas começa a se dissipar e João tem vislumbres de experiências antigas. Percebe, então, que em todas as suas aparições no planeta sempre reencontra a mesma turma. Repara no ciclo aparentemente interminável, de nascimento e morte, no qual ele e sua família encontram-se encalacrados. Observa que todos vivem repetindo sensações e reeditando experiências. Estão apegados à personalidade momentaneamente assumida e presos em esquemas emocionais e padrões de comportamentos e pensamentos recorrentes, que contribuem para a formatação do mundo que encontram à volta deles. Mas João quer se libertar do vai e vem e descobrir como se desvencilhar do sistema cíclico que os aprisiona. Para isso, contará com a ajuda de seu amigo guardião, do Miguel, da dama do portal e de familiares próximos como Mário, Chiquinha, o cavaleiro negro e outros mais. João está determinado, quer ir além da consciência alcançada e entender, afinal, que história é esta de ficar indo e vindo, repetindo sensações e reeditando experiências indefinidamente. Porém, será que ele está mesmo disposto a largar apegos, rever pendências, esclarecer e liberar de uma vez por todas as suas memórias ruidosas? Afinal, como se mover para paragens mais luminosas carregando em seu campo de energia vestígios de situações mal resolvidas que remetem a ambientes pouco vibrantes?




Menina boa, Menina má
Autor: Ali Land
Editora Record
Páginas:  376
Recebido da Rudynalva do Blog Alegria de viver e amar o que é bom


Os corações das crianças pequenas são órgãos delicados. Um começo cruel neste mundo pode moldá-los de maneiras estranhas Nome novo. Família nova. Eu. Nova. Em folha. A mãe de Annie é uma assassina em série. Um dia, Annie a denuncia para a polícia e ela é presa. Mas longe dos olhos não é longe da cabeça. Os segredos de seu passado não a deixam dormir, mesmo Annie fazendo parte agora de uma nova família e atendendo por um novo nome — Milly. Enquanto um grupo de especialistas prepara Milly para enfrentar a mãe no tribunal, ela precisa confrontar seu passado. E recomeçar. Com certeza, a partir de agora vai poder ser quem quiser... Mas a mãe de Milly é uma assassina em série. E quem sai aos seus não degenera...


O Tratado dos mil Cantos
Autor:  Rafael Dias
Editora Jambô (Selo Odisseias)
Páginas:  224
Recebido do Autor





Um pastor traumatizado pela guerra. Uma escrava indômita especialista em fugas. O guerreiro furioso de um clã nômade. O último herdeiro de uma dinastia massacrada. Em um mundo esquecido pelos deuses, quatro manipuladores dos elementos rumam para um local sagrado prestes a celebrar um ritual de sangue. Ao término de sua jornada, o destino do mundo será decidido. Romance de estreia de Rafael Dias, O Tratado dos Mil Cantos apresenta um mundo fantástico, inspirado na mitologia mesopotâmica. Uma cultura antiga, mas repleta de surpresas.











Lidos em Novembro:





Chiclete

Autor:  Kim Ki-Taek
7 Letras
Páginas: 92
Recebido da Oasys Cultural


Traduzido diretamente do idioma original, Chiclete é o segundo livro de poesia coreana publicado pela 7Letras. Esta obra de Kim Ki-taek se destaca tanto pela originalidade do autor, quanto pela novidade de aproximar o leitor brasileiro de uma cultura vista como distante. Na realidade, por abordar temas essencialmente urbanos, Chiclete pode ser compreendido por qualquer dito ‘cidadão do mundo’. Sem inibição, a poesia de Ki-taek expõe incômodos, ideias fixas e cenas do cotidiano urbano, atraindo e enredando o leitor em seu estilo único – flexível e aderente tal qual um chiclete.



A Casa dos Deuses - Os Guardiães #2
Autor :  José Leonídeio
Editora Autografia
Páginas: 574
Recebido de Andréa Drummond

Os Guardiães se remete a luta de Ângelo/Ogum Onyrê, filho de Nlá Eiyê e Dandara, herdeiro do compromisso de seus pais com o último Tupinambá, Aimbirê, na preservação da cultura Tupinambá e da Casa dos seus Deuses, a Floresta da Tijuca. A derrubada da Floresta para plantio do café, principalmente pelos ingleses, trouxe como consequência a diminuição da água das nascentes, com repercussão no abastecimento da cidade. Este cenário associa-se aos fatos históricos da época, como a defesa da cidade pelas maltas de capoeiras contra a tentativa da milícia irlandesa de se apoderar de São Sebastianópolis; a epidemia de Febre Amarela; a vingança do santo Pretinho, São Benedito; a chegada da luz do lampião a gás; os olhos do Demo na visão das carolas; a construção da primeira Estrada de Ferro. À defesa da cultura nativa se misturam personagens reais e fictícios sob o comando de Dom Pedro II, da Imperatriz Tereza Cristina, da Condessa de Barral, Luíza Marlene, e do Anjo Negro da Quinta Imperial, Rafael, da mãe de leite do Imperador Catarina e sua cozinheira, Joana. Além de Manuela dos Bons Prazeres, o seu sol, o francês Frouchard, as gêmeas Filó e Tudinha, Clara e o Cigano Igor, além de Zaika, Zaila e Eusébia, a menina Belinha e bailarina Marietta Baderna. No romance, estão caracterizadas nobreza e plebe, e toda uma cultura híbrida de ciganos, judeus, índios, negros e brancos religiosos, até a vitória final, o reflorestamento da Casa dos Deuses Tupinambás.



Cárcere Privado

Autora :  Margarida Patriota
7 Letras
Páginas: 180
Recebido da Oasys Cultural


"Lacei-a com fita adesiva de empacotamento, até gastar o rolo todo." Já na primeira frase do livro, o rapto e o sequestro se desenham na voz da narradora, que a partir daí desvela – sempre com uma certa dose de humor e ironia, numa prosa envolvente – toda a série de eventos que culminaram nesta situação extrema. O pano de fundo é a cidade de Brasília, com sua rotina peculiar em que o jogo do poder está presente mesmo nas relações mais singelas, entre vizinhos ou colegas de trabalho. Margarida Patriota se vale de uma trama policialesca para construir um romance psicológico que também serve como uma contundente crítica social. E o faz com maestria: Cárcere privado é um livro que se lê de um fôlego só, e prende o leitor até a última página, como nas melhores histórias policiais.



Continuem ligadinhos por aqui.  Dezembro tem mais!

Um comentário:

  1. oi amigo,seus recebidos são ótimos,imagino que você vai passar o mês em boa companhia.Fiquei interessada em ler o Menina boa e Manina má, quem sabe quando terminar o que tenho aqui aguardando na fila.No momento estou lendo O desaparecimento de Stephane Mailer, Joel Dicker.Adorei as resenhas,sempre com texto claro e estimulante,bjus.

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita. Deixe sua mensagem, é muito bom saber sua opinião.

Topo