slide-slick

domingo, 20 de janeiro de 2019

Resenha: Nas Brumas do desalento - Dylan Ricardo (Chiado)

Vasculhar as antigas e empoeiradas gavetas das lembranças pode ser muito perigoso (...) p. 13

Dylan Ricardo nos convida a percorrer o obscuro caminho de suas lembranças em seu livro As Brumas do Desalento, publicado pela Chiado Editora.  O passado, que desaba como um temporal assustador, resgata cada sentimento e angústia, fazendo com que o autor reviva cada uma de suas dores. 

As poesias de Dylan Ricardo percorrem trilhas que, ao longo do tempo, foram deixadas como marcas pelas lembranças que, de tão doloridas, se tornaram caminhos tortuosos e escuros.    Cada memória exerce o poder de escancarar suas cicatrizes, que  ao arder como brasas, expõem as feridas ainda em sangue.


Hoje, afogado no deserto
arrasto-me pelas dunas
procurando em lacunas
pingos para sobreviver.
(Trecho de Pingos - p.134)


Dylan Ricardo lapida cada soluço no intuito de transforma-lo em poesia, como pedra bruta que se transforma em diamante.  A arte que surge não é mero descarte de seus pensamentos obscuros, é resultado de uma entrega total e absoluta, um mergulho intenso nos dias que se passaram.   Encontrar a métrica perfeita e a estética tão almejada se torna um processo quase obsessivo.  Antes de tudo, é um ritual nobre transformar os fragmentos de sua vida em palavras.



E da bagagem retira a brisa das lembranças,
que docemente sopra nos olhos da saudade.
Despenteando as frias malenas da eternidade
que se enlaçam em tristes e chorosas danças.
(Trecho de 24 horas - p. 23)


O autor, prisioneiro em sua própria vida, assombrando-se com um futuro que se apresenta de forma mordaz e traiçoeiro, torna-se corrosivo e pragmático, carregando forte influência gótica e ultrarromântico.  Considerando os outros livros que li de sua autoria, tive a impressão de que esse, embora preserve a mesma atmosfera sombria,  carrega um certo saudosismo, representando uma fuga da realidade, que lhe parece cruel e irreversível.   Talvez essas lembranças o aproximem mais do leitor comum, criando uma identificação direta com suas poesias.

 Sempre há uma incômoda e perpétua incompletude,
em cada gosto, em cada paisagem, em todo beijo e olhar.
É como um vazio que preenche — um pedaço ausente —,
uma porção que não está presente e não consigo identificar.
Há um constante espaço sem conclusão,
qual a fulgência difusa e sem contorno
de um esfumaçado e enfraquecido clarão.
(Trecho de Lacuna - p. 83)


Em suas 140 páginas amareladas, estampam 100 poemas que, com certeza, levarão o leitor a caminhar sobre os dias cinzentos e frios, encobertos por um extenso nevoeiro, assim como o poeta vivencia sua própria existência.  Ler Dylan Ricardo é deixar de lado todas as nossas utopias e embarcar em uma viagem dura e cruel, mas que, inevitavelmente, representa as marcas deixadas pelo tempo em sua história.  As poesias são fortes, intensas e dramáticas, construídas de forma apurada com sentimentos e técnicas.  Tenha uma excelente leitura!

Meu rosto — na verdade —
é como a carranca do navio,
cuja alucinada careta espanta
os maus espíritos do rio.

E só percebe a mentira
que meu sorriso tenta esconder
quem comigo chorou,
ou me fez chorar.
Pois a realidade de minha face
é a de simular,
trancando lágrimas
que guardam todo o sal do mar.
(Trecho de Carranca - p. 128)



https://www.chiadobooks.com/livraria/nas-brumas-do-desalentoNas Brumas do Desalento
Autor:  Dylan Ricardo
Chiado Editora
Edição: 1ª (2018)
Páginas:  140
Dimensão:
ISBN:  978-989-52-3605-3






https://www.skoob.com.br/livro/807913ED812162

Você poderá adquirir este livro diretamente no site do autor.
 Pesadelos Poéticos

https://pesadelospoeticos.wixsite.com/dylanricardo

 Sobre o Autor

Dylan Ricardo - Escritor e poeta, é autor das obras Mil Poemas e um Suicídio (este com cem sonetos e um conto), Contos noturnos e No Porão da Decadência (o primeiro com dez contos de horror e o segundo com poemas. Ambos, ainda nas mãos da Editora), Nas Brumas do Desalento (prestes a ser lançado), No Zênite da Insanidade, Asas de Pedra, Do Inferno e Estado Terminal (já lançados) todos com poemas de inspiração gótica e ultrarromântica nos quais descreve liricamente trajetórias existenciais abarrotadas de desânimo, decepções e sonhos destruídos. Trazendo reflexões ao leitor sobre a sua própria existência, seus desejos e atos praticados. Muitos desses poemas tornaram-se crônicas do cotidiano de uma personalidade insatisfeita, realista e questionadora, por se referirem a assuntos voltados ao relacionamento humano, às lembranças e à efemeridade da vida.


Contatos do Autor

https://www.instagram.com/_dylanricardo_/https://www.facebook.com/dylan.ricardohttps://twitter.com/DylanRicardohttps://twitter.com/DylanRicardo

https://www.skoob.com.br/autor/20713-dylan-ricardo

* O livro foi um presente do autor.

24 comentários:

  1. Caro amigo Evandro,

    identifiquei-me com Dylan Ricardo, quando diz que "É como um vazio que preenche — um pedaço ausente —uma porção que não está presente e não consigo identificar". Sinto isso dentro de mim.

    Fiquei feliz por saber que somos quase vizinhos, moro em Valença.
    Já deve ter ouvido falar.

    Gostei de conhecer a poesia de alguém tão profundo quanto eu.

    bjs,


    Proseando num dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cleo. Que legal você morar tão pertinho. Passei na entrada da cidade esses dias, mas nunca entrei para conhecer. A poesia do Dylan realmente bem profunda e repleta de significados. Precisa conhecer melhor. Obrigado pela visita.

      Excluir
  2. Gosto de poesias e já me encantei com a indicação literária. Com certeza poesias intensas e marcantes. Eu já sei que a leitura vai ser muto boa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Vany. Confira. É um livro para apreciadores de poesias intensas e muito bem escritas.

      Excluir
  3. Quantas poesias fortes e marcantes. Me identifico muito com o estilo gótico e ultrarromântico, por isso essa indicação me interessou bastante, obrigada por compartilhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se curte o estilo, está super recomendado. Acredito que irá gostar muito, não só deste livro, como os outros do autor também. Aqui no blog tem resenha de outros.

      Excluir
  4. O livro do Dylan Ricardo é incrível, gosto muito de poesias, o autor nos leva a poesias bastante marcantes, gostei muito dos trechos que você compartilhou, é um livro que vai prender o leitor abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou dos trechos que separei pra vocês. O livro é realmente bem intenso e marcante.

      Excluir
  5. Também gosto de poesias, mas falar sobre o passado em versejares tão intensos com certeza é uma ótima experiência tanto ao escritor quanto ao leitor. Fiquei curioso pelas palavras, devem nos provocar inúmeras reflexões, afinal, todos temos uma história.

    Abraços! 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos temos mesmo nossa história. O autor nos conta um pouco da dele através de suas poesias. Vale à pena conferir.

      Excluir
  6. Oi, tudo bem?!

    Cara, que indicação legal!! Eu adoro livros de poesia, acho que são um tipo livro perfeito pra refrescar a alma e são sempre ótimas leituras. Adorei a dica, já quero ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não digo que esse seria um livro para refrescar a alma. O Dylan, com suas palavras, muitas vezes nos causa turbulência e movimento. Mas a vida é assim. Forte e intensa.

      Excluir
  7. Gosto de ler poesias antes de dormir, suas palavras me fazem relaxar e ter uma noite tranquila de sono. Esse livro chamou muito minha atenção e tenho certeza que seria um que ficaria na minha cabeceira da cama. Perfeita a dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro poesias também. O livro do Dylan é intenso e, muitas vezes, perturbador. Não consegui ler antes de dormir, achei que, para mim, a leitura se encaixou melhor em outros horários. Não é o tipo de leitura que vc consiga fechar os olhos e relaxar depois.

      Excluir
  8. Esse livro chama atenção até na capa! Ela fiquei um tempinho olhando os detalhes dela, pouco mais ficaria exagerada e menos não ia chamar a atenção necessária, ficou sob medida mesmo! Pelo menos foi isso que pensei ao ver.

    O engraçado é que pela capa imaginei o livro um tanto diferente do que vi na resenha, mas ainda assim achei que combinou muito, faz algum sentido? Rsrsrrs

    Fiquei bem interessada no livro e vi que é de leitura rápida! 140 páginas da para incluir no cronograma literário sem atrasar os livros que já listei XD

    Como sempre seu post ficou ótimo, super explicativo sem ficar cansativo, muito obrigada pela recomendação!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achei se tratar de outro gênero ao ver a capa. Depois que lemos os poemas percebemos o universo sombrio e as sombras pelas quais o autor caminha, a capa faz sentido sim.

      Excluir
  9. Olá, eu sinceramente adoro livros de punho um tanto melancólicos, então posso afirmar que adorei sua resenha, e obviamente o livro. Aliás "bruma" é uma das minhas palavras favoritas. ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então acho que curtirá muito, não só este, mas todos os outros livros do autor.

      Excluir
  10. O autor com sua simplicidade molda qualquer tema em que ele trabalha. Eu sou fascinada pela poesia, a poesia leva à facilidade que sentimos na ausência de emoções. Eu envio meus parabéns e sucesso ao autor pelo belo livor, por suas belas obras.

    ResponderExcluir
  11. Fiquei comovida diante dos trechos dos poemas citados na resenha e imaginando os demais que fazem parte do livro. O título em si já é fascinante e provoca a curiosidade. A poesia é algo que toca o coração do leitor. Já me tornei fã do autor! Ótima sugestão de leitura, Evandro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Cidália. Os trechos são fortes e o livro, como um todo, é ainda mais.

      Excluir
  12. Essa densidade poética é esse jogo de palavras que o autor nos traz uma carga muito intensa dos Sentimentos ele é capaz de transpor a gente para as Sensações que ele sente e às vezes tudo que a gente precisa é sentir alguma coisa assim mais intensa e adorei esse livro vou recomendar muito e futuramente ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leticia. Que bom que gostou! As poesias do Dylan são mesmo muito intensas e carregadas de sentimentos.

      Excluir

Obrigado pela visita. Deixe sua mensagem, é muito bom saber sua opinião.