slide-slick

Lidos & Recebidos - Janeiro 2020

em terça-feira, 4 de fevereiro de 2020


Janeiro foi um mês movimentado e não tive muito tempo para as leituras.  Algumas estão bem adiantadas, mas acabaram ficando para fevereiro.  Confiram o que chegou por aqui e os livros que consegui concluir.

Recebidos em Janeiro:



Luz, Câmara, Repressão
Autor:  Rodrigo Duhau
Editora Kiron
Páginas: 240
Recebido da Editora

No ano de 1964, os militares depuseram o presidente João Goulart do poder e assumiram o comando do país. Perpetuaram-se à frente da nação por 21 anos. Nesse período, a censura era um atributo do Estado, regulamentada por um arcabouço legal. O governo controlava, com olhos repressores, produções artísticas, entre elas o cinema. Tudo em nome da moral, dos bons costumes e da segurança nacional. Para os militares, havia, sim, uma "ameaça comunista" no Brasil e as mensagens "subversivas", segundo eles, eram veiculadas através das produções cinematográficas. Nesta obra, estão presentes as memórias de personagens que viveram durante o regime militar e que tiveram seu cotidiano profissional influenciado pela censura de filmes. Um desses personagens é Maria Nilsa Soares da Silva Duhau, que trabalhou como representante das empresas produtoras de filmes e tinha suas próprias artimanhas para tentar "driblar" o cerceamento por parte do governo. Há depoimentos, ainda, de um cineasta, de dois censores e até de um economista que era contra o personagem Capitão Gay, interpretado por Jô Soares na década de 1980.

Nada do que foi será
Autor:  Fabiano Bartolomeu
Editora Kiron
Páginas: 400
Recebido da Editora





Falar deste trabalho, Escrever este trecho, Me faz ficar alegre. Mas a história em si não traz um bom caminho. São escritos de um filósofo que fracassou. Mas tinha a arte de escrever e isso foi tudo. Assim contemplo uma felicidade real, Em poucos momentos de alegria. Foi assim movido por este nirvana Que conclui as mais de 350 páginas deste abismo. E sim, foi o livro de mais uma queda, Franca, mas eu vivi, Mesmo que caindo, Ainda tive como um norte o sonho.










Lidos em Janeiro:

O Tratado dos mil Cantos
Autor:  Rafael Dias
Editora Jambô (Selo Odisseias)
Páginas:  224
Recebido do Autor





Um pastor traumatizado pela guerra. Uma escrava indômita especialista em fugas. O guerreiro furioso de um clã nômade. O último herdeiro de uma dinastia massacrada. Em um mundo esquecido pelos deuses, quatro manipuladores dos elementos rumam para um local sagrado prestes a celebrar um ritual de sangue. Ao término de sua jornada, o destino do mundo será decidido. Romance de estreia de Rafael Dias, O Tratado dos Mil Cantos apresenta um mundo fantástico, inspirado na mitologia mesopotâmica. Uma cultura antiga, mas repleta de surpresas.






Pepino de Alumínio
Autor:  Kang Byoung Yoong
Top Books
Páginas:  270
Recebido da Oasys Cultural

No dia 15 de agosto de 1990, no exato momento em que um acidente de carro numa estrada de Riga, na Letônia, matava Viktor Tsoi, líder da banda de rock Kino, nascia na Coreia do Sul um menino, Choi Vitório, cuja vida viria a se entrelaçar à do roqueiro. Assim, misturando realidade (Viktor) e ficção (Vitório), o autor montou um enredo envolvente, capaz de fazer rir e emocionar. Ele usa a estrutura de uma fita cassete – com lado A e lado B, além de faixas ocultas – para contar como um garoto tímido e problemático, que não fala direito e é espancado por colegas de escola, encontra redenção após conhecer a música do roqueiro russo, até hoje um ídolo no panorama musical por conta da morte precoce, aos 28 anos. Além das letras de canções da banda Kino, cujos títulos nomeiam os capítulos, o livro traz entrevista de Kang Byoung Yoong (1975, Seul) e a cronologia de vida do músico – um descendente de coreanos que morreu sem realizar o sonho de conhecer a terra de seus ancestrais, e que agora ganha os cinemas do mundo: o cineasta Kirill Serebrennikov acaba de lançar Verão (2018), sobre Viktor Tsoi (1962-90) e seu amigo Mike Naumenko (1955-91), também personagem deste romance comovente



Continuem ligadinhos por aqui.  Fevereiro tem mais!

Um comentário:

  1. Olá Evandro!
    Amo ler e para mim leitura é uma senhora terapia esqueço todos os meus problemas e entro no livro amei a indicacão de pepino de alumino e o tratado de mil contos, vou procurar para comprar e ler.. Adorei os lidos de janeiro.. bjs e sucesso!

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita. Deixe sua mensagem, é muito bom saber sua opinião.

Topo