slide-slick

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Como se tornar um escritor (Parte V) - Texto de Tiago F.C. Ramos

 Dica de Ouro

(Texto do autor Tiago F.C. Ramos)
https://www.flickr.com/photos/mustangjoe/11739187924/in/photolist-iTmpzN-A4fZCi-zKPZgs-z6oJB8-zKLixK-A3sn5e-zMUC9e-zMNhxU-A4oKgM-zKGqRu-zKEBvG-z6bUsW-A3qqfM-z6sdUe-zZXkAy-A3kvdn-z6ed79-z6De8i-z8tCuM-zKKkWp-zKLoZM-A6mxVH-A4tbfB-A3pXWp-z8o1t9-A2dbHU-A6nCHr-zKPxMv-z72rKZ-A6hJ4B-A12qKo-A37wX1-zMQyQY-zKPL4V-A5orDk-z6iA5Q-z6ukzV-z8o1YN-A4h53t-A2bdtw-A3ju8i-zKX2y9-zKW9wh-A4WZft-A48Gto-z76Vvm-A2c1ab-A2sWe2-zMNfEq-z8xc9iQuanto tempo você já perdeu até o presente momento tentando deixar sua obra impecável?  Não estou falando de estrutura, mas de ortografia e gramática.  Esse é um erro que você deve deixar de cometer agora!  Pensando bem, vamos acabar agora mesmo com um vilão terrível.  Ele se esconde nos recantos mais sombrios e nefastos de... sua mente. Estou falando do Senhor Senso Crítico. Ô sujeitinho difícil! 

Esse monstro vive adormecido, mas quando você decide dar um passo fora da sua ilha de conforto, ele surge, falando besteiras do tipo: “não vai dar certo”, “pare com isso.  Quer passar vergonha?” ele vive dizendo isso sobre o português apresentado na hora que você está escrevendo.  Ele faz isso quando você está criando algo.  Um chato, isso sim.

Agora colocarei asas em vocês: DESLIGUE SEU SENSO CRÍTICO. Principalmente na hora que está criando.  Deixe o português um pouco de lado.  Deixe que sua estória surja sem pensar se alguém vai ler ou não.  Não importa o que acontecerá, apenas escreva.
Sua estória é como um diamante.  Enquanto você permanece no processo de criação, é como se estivesse cavando à procura de uma pedra de diamante.  Assim que encontra, começa o processo para que aquela pedra bruta se transforme numa joia.  Isso significa que alguma coisa vai ter que sair dela.  É nessa hora que terá que se preocupar em adequar seus textos às regras ortográficas, mas a alma de sua criação já estará no papel.

http://tcframos.wixsite.com/ocontodaslendasCaso real: Da Vinci terminou de esculpir “Davi” em pedra. Quando perguntaram como ele sabia a aparência de Davi, ele disse: “ele já estava lá dentro, só precisei retirar tudo o que não era Davi”. Ele não ficou pensando se estava fazendo uma grande obra, apenas fez e foi corrigindo no fim da obra, não durante ela.  Se você não desligar seu senso crítico, sua obra nunca sairá da pedra bruta.

Gostou das dicas? Tem mais em http://tcframos.wixsite.com/ocontodaslendas além de promoções do livro Os Dias Esquecidos da série Conto das Lendas.  Uma obra de fantasia aos moldes de Tolkien.  Aproveite a promoção: de R$ 52,00 por apenas R$ 30,00 com envio grátis para todo o Brasil.  Em breve teremos kits exclusivos da obra como camisetas, mochilas e muito mais!

*Todo conteúdo da coluna é de inteira responsabilidade do autor TCF Ramos.

Leia os outros posts da coluna:

Acesse o site do autor:  



 Contatos do autor: 

http://www.facebook.com/WixPortugues
Tel :    21 975 54 4388
          21 975 54 3558

tcframos@yahoo.com.br
 

42 comentários:

  1. Oi, Tiago. Tudo bem?
    Nossa, você tocou em um ponto importantíssimo nesse post e é uma coisa que me incomoda muito. Eu sou o tipo de pessoa que gosto de tudo muito bem escrito, sem qualquer tipo de erro.Entretanto, sofro com uma coisa que já me disseram ser vício de leitura. Por isso, eu preciso ler muito uma coisa para conseguir encontrar todas as imperfeições, mas elas sempre passam. Leio várias vezes e, no fim, sempre encontro algum erro. Achei muito válido sua dica, quando for começar a colocar o meu livro em desenvolvimento, vou levar o seu conselho em consideração. Acho que é isso mesmo: precisamos deixar a criatividade fluir sem muitas preocupações, depois damos importância a esses detalhes. Adorei a publicação.
    Abraço!

    meuniversolb.wixsite.com/meuniverso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredite: a criatividade fluirá de maneira surpreendente. Agradeço por ter deixado seu comentário.

      Excluir
  2. Olá,

    Interessante ler o seu post, justamente porque antes eu iniciava a escrita de várias livros, mas meu senso crítico não me deixava seguir com a história e nem mesmo pedir a opinião de terceiros. Em um dado momento, acabei deixando-o de lado e comecei a escrever minhas histórias, o funcionou perfeitamente bem para mim. Gostei muito da reflexão apresentada.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o seu comentário mostra que realmente funciona. Obrigado Vivianne.

      Excluir
  3. Olá,

    Gosto bastante das dicas que tenho lido por aqui, espero que tenha mais.
    Eu não escrevo há um bom tempo, mas sempre gostei de escrever livremente, sem me importa com os erros ou qualquer discordância, só deixava fluir, até porque eu só escrevia quando surgia uns rompantes de inspiração. Então, eu colocava tudo num papel ou no notebook e depois de terminado, eu ia revisar e modificar alguma coisa que eu não gostasse ou não se encaixasse na história. E isso funcionava muito bem para mim. Lógico que há o perfeccionismo batendo na porta, mas às vezes é bom deixá-lo do lado de fora.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como é bom poder se sentir livre para escrever. Thayenne, você está no caminho certo.

      Excluir
  4. Ola
    Adorei poder seu texto, especialmente por conta de sua importância. Amo escrever, então sempre é maravilhoso poder conferir direcionamentos tão relevantes nessa area que merece muito respeito, destaque e divulgação também. A gente precisa compreender um pouco mais desse sentido mesmo.. obrigada pela apresentação nítida.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fer, isso dá ao autor do post (eu rs) um imenso senso de dever cumprido. A missão aqui é ajudar as pessoas a se tornarem escritores mostrando que o escritor nacional vale muito. Espero poder ajudar a muitos com isso. Obrigado pelo comentário.

      Excluir
  5. Olá, achei super interessante esse post; já vi muitos escritores comentando que por ficar tentando aperfeiçoar demais a história acabavam não conseguindo dar continuidade à escrita dela, então, dica super válida! Primeiro devemos escrever, depois nos preocupamos realmente com o resto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto tempo Mari! Que bom que gostou. Ainda temos muitas dicas valiosas para dar aqui na coluna.

      Excluir
  6. Oi
    Super legal a sua dica. É difícil mesmo desligar o senso crítico, mas acho importante para o sucesso da obra. Essa coluna é realmente maravilhosa, principalmente para quem está começando!
    Ótimo post
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rízia eu fico muito feliz quando alguém diz que estou ajudando. Ainda tem mais dicas esperando.

      Excluir
  7. Oie, tudo bem?? Poxa, que coisa mais bacana você falou! Muitas vezes essas cobranças atrapalham mesmo a liberdade da escrita e a gente meio que acaba perdendo a linha de pensamento até. O importante é escrever sem amarras, para só depois se prender aos detalhes. Coluna muito interessante, parabénssss!!! Bjosss

    http://porredelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Diana, tudo bem. Por essas e outras que a pessoa entra no "Bloqueio Criativo".

      Excluir
  8. Olá!
    Que legal essa coluna desse autor. As dicas são ótimas. Realmente temos que deixar a história fluir e só depois se importar com algo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Olá!! :)

    Eu adorei ler este artigo mais sobre o ser escritor e sobre escrever e criar a sua obra!! :) gostei mesmo!

    Achei que e uma boa tática: escrever e criar, so depois criticar!! Vou experimentar, ainda que nem sempre seja fácil! :) ahahah

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desligar o senso crítico é difícil mesmo. Essas técnicas ajudam a escrever e ainda tem muita coisa por vir.

      Excluir
  10. Olá,como leitor avido que sou, natural que em algum momento decidisse escrever. Tenho idéias, algumas coisas no papel, mas nada que eu pretenda lançar, entendo o quanto a autocritica pode nos atrapalhar, mas o bom senso é sempre nosso aliado, e acho muito importante que, com ele, se saiba que algo não está bom o bastante e que se busque aperfeiçoamento, to nesse caminho :) abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, isso mesmo. Existe uma palavra que pode explicar isso: Equilíbrio. O problema é quando não conseguimos encontrar esse equilíbrio. Quando terminamos uma obra, temos a responsabilidade de 1) Revisar o texto e 2) Revisar a estória. Acredite quando digo que fico feliz por saber que está neste caminho. Nossa vontade de escrever nunca pode ser maior do que o bom senso, mas bom senso não pode ser tão grande que nos atrapalhe de realizar o sonho de escrever. Grande abraço e obrigado por comentar na nossa coluna!

      Excluir
  11. Oie Tiago!
    Amei seu post. Confesso que nunca nem experimentei entrar nesse universo da escrita. Não me considero uma pessoa com boa criatividade. Por isso, dou muito valor às pessoas que criam belíssimas histórias que nos conquistam.
    O seu texto deu boas dicas pra quem quer se aventurar nesse mundo, principalmente no que diz sobre desligar o senso crítico. Acho que esse é o principal e o mais difícil.
    Parabéns!
    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thaís, seu comentário foi um verdadeiro presente de fim de ano. Obrigado.

      Excluir
  12. Olá, que poste bel. As dicas passadas e a forma como foram passada são extremamente importantes. Quero muito iniciar minha vida como escritor e saber de mais detalhes disso me faz querer ser mais ainda. Gosto de criar, criar com paixão, e assim quero levar isso para minha vida futura de escritor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, como é bom ler isso! Escrever é um prazer. Já viu um artista que cria sua arte sem amar o que faz? Não existe! Escrever é uma arte e o artista faz isso com amor e paixão. Os próximos posts continuarão a dar dicas fundamentais. Tem muita coisa boa por vir.

      Excluir
  13. Olá, tudo bem?
    Atualmente não tenho mais o hábito de criar novas histórias, mas lembro que sempre fazia isso que você disse, ficava me corrigindo o tempo todo, em cada frase e parágrafo que escrevia. Creio que foi exatamente por esse motivo que nenhuma das minhas histórias que iniciei tiveram um fim, e foi legal conferir as suas dicas pois nesse processo de escrita temos que deixar nossas ideias se libertarem primeiro mesmo.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E isso serve para muita coisa. Obrigado Amanda.

      Excluir
  14. Olá!
    Nunca tive vontade de criar histórias, então essas dicas não servem para mim, que gosto mais de ler o que foi escrito hahaha Mas achei bem interessante porque um ponto de vista sobre esse assunto é sempre bom, com certeza vou indicar a coluna para alguns conhecidos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carolina, agradeço demais. Você tem o talento crítico, muito apreciado por quem escreve. Grande abraço.

      Excluir
  15. Adorei as dicas, não costumo escrever, não é minha praia. Mas esse senso crítico deve ser mesmo um grande empecilho na hora de colocar tudo no papel. Dicas anotadas, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem bom que gostou, isso indica que as dicas são boas. Obrigado Carla.

      Excluir
  16. Adorei as dicas, não costumo escrever, não é minha praia. Mas esse senso crítico deve ser mesmo um grande empecilho na hora de colocar tudo no papel. Dicas anotadas, beijos!

    ResponderExcluir
  17. Oi!
    Achei as dicas válidas e acho que, quem quer se tornar um escritor, pode tirar muito proveito do seu texto. Essa frase de Da Vinci está registrada em minha mente desde quando a ouvi há muito tempo e acho que se aplica não só à esculturas.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senti o impacto dessa frase também e você está certa. Até mesmo um leitor pode se aproveitar da lição dessa frase. Obrigado Gabrielle.

      Excluir
  18. Olá, Tiago. Achei a dica válida, mas em partes. Acho que depende da pessoa. Eu, por exemplo, sou perfeccionista. Não encaro isso como um defeito meu. Às vezes é chato, mas é meu senso crítico que me ajuda na hora de escrever. Eu sempre falo que quero escrever livros que eu gostaria de ler, penso "se esse livro fosse de outro autor, que nota eu daria pra ele" aí vou evitando tudo aquilo que eu não curto. Acho que antes de mais nada nós temos que escrever para nós, e nada melhor que nosso senso crítico para nos ajudar a saber o que deve ou não entrar, o que vai ou não nos agradar. Agora quanto ao português, escrevo sem nem olhar se está certo ou não, só depois volto e vou relendo e consertando! rss

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tamires, muito boa a sua observação. Observava alguns de meus colegas de turma no colégio e eles não sabiam fazer redação. Não sabiam escrever? Sabiam sim, mas não se expressavam bem com muitos "tipo" e "sabe?". Se não gostarmos de escrever, ninguém gostara de ler o que escrevemos. Meus colegas de classe não gostavam de escrever com medo do que iriam pensar. Por essa e outras que decidi falar disso. Muito bom seu comentário e obrigado por ter vindo até aqui prestigiar o blog.

      Excluir
  19. Acho a dica interessante, não sou autora nem pretendo ser, mas com certeza é importante essa etapa de deixar as idéias fluírem e construir a alma da obra. Óbvio que é essencial se preocupar com a linguagem correta, mas realmente deve ser mais simples e prático se preocupar com isso na etapa seguinte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como dizem: "é todo um processo..." (rs). Não precisa ser difícil, é só pegar a experiencia de quem ja passou por isso (opa, eu). Não quero ser egoísta, portanto, divido com vocês a alegria e o prazer de escrever. E você Ju, é a parte mais importante desse processo, pois é uma leitora, e escritores amam leitores (sou suspeito para falar). Obrigado Ju.

      Excluir
  20. Oie
    ai que legal esse tipo de post, é muito ver o povo dando dicas para ajudar os outros, eu mesma sempre considero bem vindas pois ja tentei muitas vezes escrever livros mas nunca terminava e sou louca para um dia lançar um livro meu, adorei as dicas

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Catharina, vem mais por aí. Sei que você vai conseguir.

    ResponderExcluir
  22. Oi, tudo bem?
    Adorei seu post, realmente muito bom para quem quer se tornar um escritor um dia, grandes aprendizados. Particularmente não tenho essa vontade, mas tudo que li passarei para frente e com certeza vão absorver as dicas!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Amei o texto... eu fico assim direto. Tô escrevendo um livro desde 2014 e sempre sou travado por esse monstro! Amei o texto hehe


    http://obaucultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita. Deixe sua mensagem, é muito bom saber sua opinião.