slide-slick

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Resenha - Alice no País das Armadilhas

Este livro tem por base personagens do Título "Alice no País das Maravilhas", tem toda uma conotação envolvendo tal título, porém está longe de ser um título para o imaginário infantil, logo de cara vemos que o livro trás uma abordagem forte de guerra, onde a tônica das personagens é a sobrevivência diante do caos.


Alice é uma menina corajosa de 15 anos que nasceu em um Mundo pós catástrofe chamado de Insurreição em que a China e os EUA disputavam a soberania Mundial. A personagem vivia em um assentamento, pois todos os países, cidades e territórios foram destruídos por uma arma química, que transformou grande parte da população em Zumbis sedentos por morder pessoas que não haviam sido contaminadas, assim transformando-as em Mordedores também.

Em meio a este cenário em que os moradores do acampamento se preparavam a todo momento para se protegerem de  ataques de
mordedores, Alice, que apesar de estar no início da adolescência, era uma menina muito esperta, sabia empunhar um rifle, manuseava bem um punhal e sabia lidar com o medo muito bem, era uma das mais bem preparadas para encarar os desafios que aquela vida trazia.

A personagem que dá nome ao livro é uma adolescente corajosa, que acaba descobrindo um universo nebuloso no meio dessa batalha de sobrevivência em que vivia seu acampamento, que era independente, produzia seus próprios alimentos e não aceitavam a presença da chamada guarda vermelha, que era um Núcleo do Exército Chinês que se dizia protetor dos assentamentos e que só queria em troca da segurança das regiões devastadas, que os moradores destas trabalhassem para eles, fosse na produção, fosse se alistando para a  guarda, afim de "salvar" a população da ira sanguinária dos mordedores.

Mas nem tudo é o que parece...

Certo dia em que Alice estava protegendo o acampamento, olhando do alto de uma Colina através de seu Rifle, ela avista um mordedor que usava orelhas de coelho entrar por um buraco escondido no meio da floresta. Ela então resolve ir atrás desta passagem para ver o que tem debaixo daquele solo. Quando ela entra no buraco, escorrega até um túnel fundo que dá para um porão onde se revela uma espécie de abrigo para estes mordedores.. Daí em diante o que parecia uma ameaça passa a ser a solução da história...
Alice segue o mordedor que acaba por revelar uma sociedade paralela de mordedores, protegidos por uma Rainha, que era um ser incomum, nem humana e nem mordedora.

A Rainha então revela uma profecia para Alice e diz que só ela pode ajudar os mordedores.
Ao conhecer a história por outro ângulo, Alice decide que irá ajudar a Rainha, porém, ela ainda está em dúvida no que acreditar, é estranho para uma menina da idade de Alice que conviveu com o medo e acostumada a se preparar para matar mordedores a qualquer ataque, agora enxergar outra perspectiva da história.

Bom, é isso, uma história fascinante, que trás alguns personagens da história com nome similar, voltado para o público infantil, porém aqui não encontramos uma menininha atrás de amigos bichos falantes, mas sim uma menina que desde criança precisou lutar para sobreviver, e, apesar da pouca instrução educacional, consegue desvendar muitos mistérios a partir de elementos que desafiam sua coragem.

Espero que tenham gostado desta resenha pessoal! Continuem nos acompanhando e comentando para que possamos entender se o nosso trabalho está agradando. Obrigado!

"As palavras dela surtiram efeito e Alice observou todos recuarem. Muitas pessoas desviaram o olhar quando ela os olhava, a maioria se surpreendendo mais uma vez com o que Alice havia se tornado. Ela nunca tinha desejado ser uma líder sob nenhuma circunstância, e certamente não pediu a responsabilidade e o fardo que vinham com isso, porém, agora, independentemente de gostar ou não, ela percebia que todos seguiam o que ela dizia". (Página 142)


Autor: Mainak Dhar
Única Editora (Única é um selo da Editora Gente)
Tradução: Alice Klesck
Título Original: Alice in DeadLand
253 páginas


Por Fábio Turetta



22 comentários:

  1. Ótima resenha companheiro, a capa é bem intrigante. Achei interessante a ideia do autor em usar uma história infantil e dar um ar mais sombrio, com toda essa disseminação de livros e filmes referentes a apocalipses zumbis, essa combinação me parece inovadora. Agora está na minha lista de leitura. Abraços..

    http://www.vestigiodelivros.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Elivelton. É bem criativo sim a ideia.

      Excluir
  2. Eu não conhecia senhor, como não conhecia esse livro *0* Começando por essa capa que é maravilhosa, esse ar sombrio, quero!

    Beijão.

    Blog: www.seteprimaveras.com

    ResponderExcluir
  3. oi gostei da capa, não sei se leria o livro, apesar da história me chamar a atenção, usar o título dessa forma me submete muito a uma expectativa que não sei se seria suprida pela complexidade de "Alice no país das maravilhas"


    http://naiamelo.blogspot.com.br/ (Ciranda da Bailarina)

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alice no País das maravilhas é realmente um clássico maravilhoso! Faça como eu, se desligue um pouquinho e mergulhe nessa história rsrsrs

      Excluir
  4. Adorei a resenha!!! E amei a ideia dessa versão sombria, de Alice no país das maravilhas.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, adorei seu blog, já estou seguindo, sem falar que gostei muito da resenha!
    Abraços, tem, um post novo lá na minha página, ficarei bastante feliz com a sua visita!
    http://umalbumpanoramico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Victor. To indo lá no seu blog e já to te seguindo tb. Obrigado.

      Excluir
  6. É afinal ela estava no País das armadilhas rsrs como nós hoje na política amei o texto abraço.
    www.ficarbem.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk Isso é uma verdade!!! kkkk Obrigado pela participação.

      Excluir
    2. Eu infelizmente nunca li a Alice no País da Maravilhas. Mas como psicóloga. Durante o curso falamos do livro. E a ideia que nos foi passada era que: "O livro não foi escrito para crianças (embora fossem as crianças posteriormente a gostarem mais do livro) e que o significado do livro era por a passagem da vida como criança, da Alice, para a vida adulta". Até esta resenha eu tinha essa ideia sobre o livro. Mas gostei da sua interpretação, fiquei com mais vontade de lê-lo.
      http://glorganizer15.blogspot.pt/

      Excluir
    3. Que informação legal Gabriela. Eu não sabia, e agora, olhando na net sobre Alice no País das Maravilhas, vejo que tem muitas histórias que cercam a obra e também o autor. Adorei sua participação. obrigado. Esse "Alice no País das Armadilhas" tem até zumbi. rsrs Segue pra quem se interessar uma matéria do site Omelete "A história por trás de Alice no País das Maravilhas". https://omelete.uol.com.br/filmes/artigo/a-historia-por-tras-de-alice-no-pais-das-maravilhas/

      Excluir
  7. adorei a resenha, já adicionar a lista para ler.
    http://diarioleitorblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Bem, há algo em comum com as outras versões... Toda boa história da "Alice" sempre tem uma grande dose de loucura. kkkk
    Na sua resenha já percebemos que há reviravoltas inimagináveis.

    http://nadafessoal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade, Fernanda! rsrs Obrigado pela visita!

      Excluir
  9. A capa desse livro já tinha me chamado a atenção, lendo sua resenha então fiquei com mais vontadde ler. Parece uma ótima adaptação de Alice no País das Maravilhas, mas outra adaptação que recomendo é a série Splintered. :)

    http://preguicaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é bem interessante mesmo e a adaptação também. Olhei sua dica pelo google, nuss, adorei as capas. Tá na minha lista. Brigadão pela sugestão.

      Excluir
  10. muito legal, lerei com certeza! parabéns pelo blog, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, Artur. Que bom que gostou!

      Excluir

Obrigado pela visita. Deixe sua mensagem, é muito bom saber sua opinião.